Pesquisa personalizada

Carta Aberta - Por Jorge Schemes:

No dia 23 de outubro de 2009 solicitei minha saída da coordenação pedagógica do Programa "O Caráter Conta!" na GERED de Joinville, SC. Foi uma decisão pessoal e feita de livre e espontânea vontade.

Todavia, algumas situações ocorridas bem como as circunstâncias que se arquitetaram ao longo deste ano (2009), e que culminaram na reunião feita no Setor de Ensino na data acima exposta, me fizeram tomar essa decisão.

Até então estive calado, porém não alienado, pois meu pensamento e minha formação cognitiva e filosófica é pós-crítica e meus princípios e valores são alicerçados na Santa Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada.

Não posso agredir meus princípios morais e éticos diante de atitudes mesquinhas de segregação, exclusão, discriminação, preconceito, abuso de poder, constrangimento ilegal, falta de ética (no mínimo profissional) e assédio moral. O que eu não faço com os outros, eu não aceito que façam comigo.

Não compactuo com manobras politiqueiras de pessoas mesquinhas que, durante meu tempo de coordenação pedagógica à frente do Caráter Conta na GERED de Joinville, SC, nunca fizeram nada pelo Programa, e além disso visavam a apropriação do esforço e do trabalho alheio já feito durante anos para promoção e benefício próprios, tais pessoas são verdadeiros "vampiros psíquicos e sociais".

Alguém disse certa vez com muita propriedade que, "onde não há ética até o ambiente fica doentio". E tais pessoas, por serem as detentoras do poder, são um verdadeiro foco de doenças emocionais para aqueles que se sujeitam as suas manobras carregadas de tirania e cheias de maldade, mas Deus é justo Juiz e cabe a Ele retribuir a cada um segundo as suas obras.

Desde o início, minha dedicação e empenho para que o Programa "O Caráter Conta!" tivesse êxito nas escolas da Rede Pública Estadual pertencentes a GERED de Joinville, SC, foram constantes. Procurei promover "O Caráter Conta!" nas escolas da Rede Estadual de Ensino, por meio de reuniões com professores, técnicos e gestores, bem como formatá-lo pedagogicamente à realidade local. Procurei dar visibilidade para as ações do Programa por meio deste blog, e o fiz de maneira voluntária e por decisão pessoal, uma vez que o Programa, até a data presente (23/10/2009), não faz parte dos programas oficiais da Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina. Contudo, o mínimo que se espera quando há dedicação e empenho em qualquer atividade que envolva a educação é reconhecimento, valorização, gratidão e respeito. Talvez essa seja a razão porque há tantos professores e professoras desmotivados.

Apesar de tudo valeu a pena toda minha dedicação e esforço. E aqui deixo registrado o meu respeito e a minha gratidão a todos que se comprometeram junto comigo, e de coração voluntário ajudaram a implementar as atividades do "Caráter Conta!" em sua escola, de maneira especial aos professores e professoras, assistentes técnicos pedagógicos e gestores. Acredito no Programa "O Caráter Conta!" como uma ferramenta poderosa de transformação moral e ética dentro da escola e na vida de cada um de seus agentes. Por essa razão continuarei trabalhando os seus pilares em minhas aulas de Ensino Religioso na Rede Municipal de Ensino de Joinville, SC, como já vinha fazendo antes. Atualmente tenho 09 turmas, do Ensino Fundamental, somando mais de 300 alunos envolvidos com o Programa. Estamos trabalhando sistematicamente com várias atividades pedagógicas relacionadas com os pilares do "Caráter Conta!", meus alunos e alunas da Escola Municipal Saul Sant'Anna de Oliveira Dias já produziram redações, acrósticos, poesias, paródias e joguinhos lúdicos relacionados com os pilares do Programa "O Caráter Conta!". Essas atividades todas e muitas outras estão sendo socializadas neste espaço.

Termino afirmando que acredito na educação para o caráter, acredito na proposta e na metodologia do Programa "O Caráter Conta!", não como plataforma de interesses politiqueiros, pessoais e mesquinhos, mas como uma poderosa força moral na construção de uma cultura para a paz.

Que o Deus Eterno e Criador Ilumine a Todos Nós!
Ex-Coordenador Pedagógico do Programa "O Caráter Conta!" na GERED de Joinville, SC, no período de 2004 a 2009.
Atualmente é colaborador e multiplicador voluntário do Programa nas escolas da Rede Municipal de Ensino, onde atua como professor de Ensino Religioso.

Confira Também:

Atividades do Programa "O Caráter Conta"!

ESTUDE A PALAVRA DE DEUS AGORA!

ESTUDE A PALAVRA DE DEUS AGORA!
Cursos e Estudos Bíblicos Gratuítos
Pesquisa personalizada

quinta-feira, maio 04, 2006

REPASSE: EEB TUFI DIPPE



RELATÓRIO DO REPASSE
CURSO DE CAPACITAÇÃO “O CARÁTER CONTA”

ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DR.TUFI DIPPE

Participantes do curso de capacitação “O caráter Conta”:

Dia: 14/03/06 e 15/03/06.

Daisy da Costa Bicalho (Assistente Técnico Pedagógico)
Margarida Leuni Gabriel (Orientadora Educacional)
Jair Kupinski (Professor de Filosofia)


Dia 20 /03/06 Segunda - Feira

Neste dia foram colocados nas dependências internas da escola cartazes escritos: O Caráter Conta.
Os professores liam e alguns perguntavam: - O que quer dizer Caráter Conta?

Dia 21/03/06 – Terça - Feira

Repasse: O compromisso do repasse para os professores foi realizado todos os dias nos três turnos das 7: 30 às 7:45 e 1:30 às 1:45 e 19:00 às 19:15

Explicação:

1) O que é O Caráter Conta?
O programa O Caráter Conta é uma parceria entre a ONG Os Companheiros das Américas, o IEPES – Instituto de Estudos e Pesquisas Sociais e a GEECT de Joinville.

2) O principal objetivo é a construção de uma cultura de Paz nas Unidades Escolares.

Foi perguntado para os professores qual o significado da palavra caráter.

Respostas:

- É um conjunto de qualidades boas ou más.
- significa identidade, personalidade.
Foi comentado por uma professora que dentro de nós existe dois lobinhos: um bom e outro mau. E que nós seremos aquele que alimentarmos mais.

Leitura da Fábula: O cordeiro e o lobo.

Num dia de sol, um cordeiro estava matando a sede num regato de águas límpidas, quando, inesperadamente, apareceu um grande lobo faminto, arreganhando os dentes e vociferando:
- Como você é atrevido, seu cordeiro! Não vê que está sujando a água que vou beber? Vou castigá-lo por esse desrespeito!
- Senhor lobo, disse o cordeiro trêmulo, não se zangue, mas veja que não posso sujar a água que está bebendo, pois ela corre daí para cá.
Mas o lobo cruel, repelido pela força da verdade, inventou outros pretextos para condenar o cordeiro:
-Ouvi dizer que no ano passado você andou falando mal de mim por aí...
- Como poderia se, se nasci neste ano?
O lobo, já meio sem graça, arranja outras acusações:
- Mas a raposa me disse que seus irmãos andaram falando mal de mim...
- Deve ter sido engano! Pois sou filho único, disse o cordeiro com voz tímida.
Então o lobo ameaçador saiu-se com esta:
-Ouvi dizer que alguém da sua família falou mal de mim, e, além do mais, quem dá tantas desculpas como você, só pode ser culpado...
Como não havia ninguém para defender o inocente cordeiro, o lobo aproveitou-se da situação e o devorou.


Dia 22/03/06 Quarta - Feira

Foi colocada uma toalha vermelha (TNT) de 4m por 30cm na mesa dos professores antes deles chegarem na escola no período matutino
Às 7h 30m iniciou o 2º dia do repasse do Programa Caráter Conta
Primeiro foi perguntado para os professores se perceberam a toalha nova na mesa.
A reação foi rápida respondendo: - Claro, é a páscoa que está chegando só está faltando um coelhinhos para enfeitar.
Outros disseram: - Colocaram a outra pra lavar?
Ou então: - Me lembra Natal
Depois a reação foi de curiosidade perguntando: - afinal porque? E o que é?
Pedimos para que pensassem no que a cor significa pra cada um deles. Respostas: - paixão, fogo, sangue, etc...
Pedimos para que continuassem pensando o que poderia ser até o dia seguinte quando falaríamos a razão daquela toalha vermelha, e que tinha outra novidade na parede, que lessem o cartaz onde estão escritos os dez mandamentos do porquê se ensinar caráter.
Terminamos lendo um pensamento:

Vigie seus pensamentos
porque eles se tornaram palavras
vigie suas palavras
Porque elas se tornaram seus atos
Vigie seus atos
Porque eles se tornaram hábitos
Vigie seus hábitos
Porque eles se tornaram seu caráter
Vigie o seu caráter
Porque ele será o seu destino.

Cada professor poderia pegar para si esta mesma mensagem colocada dentro de uma caixinha em cima da mesa.


Dia 23/03/06 Quinta - Feira

O nosso 1º pilar do Programa Caráter Conta é vermelho que significa Zelo
O Zelo, ou cuidado, é uma qualidade típica das pessoas de bom caráter.

A pessoa zelosa tem cuidado para não prejudicar as outras pessoas e demais seres vivos, nem os objetos, a comunidade, o planeta, e o futuro.

Por que ser Zeloso?

Porque as pessoas demonstram considerações, carinho, compaixão e generosidade para com os outros ?

As pessoas ajudam seus semelhantes porque isso as faz sentirem-se melhor. Alguns só demonstram preocupação porque outras pessoas de prestigio a fazem.
Outras demonstram compaixão, o fato de ver outras pessoas sofrendo os faz sofrer também. Outros demonstram zelo principalmente porque esperam alguma coisa em troca.

A verdadeira preocupação para com os outros é sinal de amadurecimento ético e ela pode aparecer em qualquer idade.

REGRA DE OURO

“Trate os outros como você gostaria de ser tratado”

- Demonstre seu zelo pelas pessoas, por meio de carinho, cuidado, generosidade e compaixão.
- Viva praticando o ditado do ouro, tratando os outros da forma como você deseja que os outros lhe tratem.
- Pense o que cada decisão, palavra ou ação fará nas outras pessoas.

Neste dia todos receberam um agrado, um pirulito no formato de coração e na cor vermelha com frases:
- A bondade é uma linguagem que o surdo consegue ouvir e o cego consegue ler.
- Ganhamos a vida através do que recebemos. Fazemos uma vida através do que damos.
- Possua um coração que nunca endurece, um temperamento que nunca pressiona, e um toque que nunca magoa.
- A felicidade que levamos aos outros, volta-nos, numa alegria silenciosa aos nossos próprios corações.

Dia 24/03/06 Sexta - Feira

Hoje quando os professores chegaram encontraram a mesa com uma tolha na cor lilás
Pergunta: - Alguém quer falar sobre ao que a cor significa ou nos lembra?
Responderam: - quaresma...
E qual seria o pilar roxo ou lilás? Nenhuma resposta. Então pensem até amanhã, pesquisem, consultem e tragam a resposta amanhã.

Foi lido a mensagem: Dando o melhor.
Muitas coisas se falam a respeito de Bethoven. O fato de ter composto extraordinárias sinfonias, mesmo após a total sudez, é sempre recordado.
Exatamente por causa de sua surdez, ele era pouco sociável. Enquanto pôde, escondeu o fato de a audição estar comprometida. Evita as pessoas porque a conversa se lhe tornara uma prática difícil e humilhante. Era o atestado público da sua deficiência auditiva. Certo dia, um amigo de Bethoven foi surpreendido pela morte súbita de seu filho. Assim que soube, o músico correu para a casa dele, pleno de sofrimento.
Bethoven não tinha palavras de conforto para oferecer. Não sabia o que dizer. Percebeu, contudo, que num canto da sala havia um piano.Durante 30 minutos, ele extravasou suas emoções da maneira mais eloqüente que podia. Tocou piano. Ao contato dos seus dedos, aqs teclas acionadas emitiram lamentos e melodias harmoniosas de consolo. Assim que terminou, ele foi embora. Mais tarde, o amigo comentou que nenhuma outra visita havia sido tão significativa quanto aquela. Por vezes, nós também, surpreendidos por notícias muito tristes ou chocantes, não encontramos palavras para expressar conforto ou consolação.
Chegamos a ponto de não comparecer ao enterro de um amigo, por sentir “não ter jeito” para dizer algo para a viúva, ou os filhos órfãos.Não vamos ao hospital, visitar um enfermo do nosso circulo de relações, porque nos sentimos inibidos. Como chegar? O que levar? O que dizer?
Aprendamos com o zelo do imortal Bethoven. Na ausência de palavras, permitamos que falem os nossos sentimentos.Ofertamos o abraço silencioso e deixemos que a vertente das lágrimas de quem se veste de tristeza, escorra em nosso peito. Ofereçamos os ombros para auxiliar a carregar a dor que extravasa da alma, vergastando o corpo. Sentemo-nos ao lado de quem padece e lhe seguremos a mão, como todas as letras e nenhum som: “estou aqui; Conte comigo”


Dia 25/03/06 - Sábado - Reunião pedagógica

Ninguém fez a tarefa de casa. Quando perguntei se sabiam responder qual o pilar lilás não souberam responder. Foi pedido para um professor fazer o desenho grande da Bandeira do Brasil no papel kraft (atividade feita também na nossa capacitação) depois distribuído no formato de mãos e pés pequenos para cada professor escrever o que para ele significa a palavra cidadania e uma atitude ou ação dele dentro de cidadania.
Todos escreveram, leram e comentaram sobre, em seguida colaram dentro da Bandeira do Brasil. Na hora do lanche foi servida gelatina no sabor uva, (cor roxo)


Dia 27/03/06 – Segunda - Feira

Foi lido o poema Canção de Exílio escrito por Gonçalves Dias inspirado na Saudade da Pátria.

Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá;
As aves, que aqui gorjeiam,
Não gorjeiam como lá.

Nosso céu tem mais estrelas.
Nossas várzeas têm mais flores,
Nossos bosques têm mais vida,
Nossa vida mais amores.

Em cismar, sozinho, à noite,
Mais prazer eu encontro lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Minha terra tem primores,
Que tais não encontro eu cá;
Em cismar-sozinho, à noite.
Mais prazer eu encontro lá;
Minha terra tem palmeiras,
Onde canta o Sabiá.

Não permita Deus que eu morra,
Sem que eu volte para lá;
Sem que desfrute os primores
Que não encontro por cá;
Sem qu’inda aviste as palmeiras,
Onde canta o Sabiá.


Dia 28/ 03/06 – Terça – Feira


Leitura da fábula: O ratinho da cidade e o ratinho do campo

Certa vez um ratinho do campo convidou seu amigo da cidade para passar uns tempos com ele em sua casa e o ratinho da cidade aceitou.
Chegando lá, o ratinho da cidade foi recebido com muita alegria e logo convidado para o jantar. Mas só havia grãos de cevada e umas raízes com gosto de terra.
- Puxa, meu amigo! Isso não é vida... Vamos comigo para a cidade! Você verá quanta coisa boa há para comer!
Animado com a promessa de comida farta, lá se foi o ratinho do campo para a cidade.
Chegaram em casa e, sem perda de tempo, o Ratinho da cidade tratou de lhe mostrar a despensa lotada de queijos, mel, cereais, figos e tâmaras.
O ratinho do campo não sabia o que olhar primeiro e imaginou o sabor de todas aquelas gostosuras!
Resolveram comer na mesma hora. Porém, a porta da despensa se abriu e alguém entrou. Os dois fugiram apavorados e se esconderam no primeiro buraco que encontraram.
Passado o susto, os dois amigos iam saindo do esconderijo para, finalmente, comer, e outra pessoa chegou e foi preciso se esconder de novo.
A essa altura, o ratinho do campo já estava desanimado com aquela situação de esconde-esconde e de ver a comida sem poder comê-la, então disse:
-Obrigado, meu amigo, pelo convite, mas a vida na cidade é muito agitada! Vou-me embora para minhas cãs, onde posso comer minha comida simples sem correr tanto perigo.

Comentários: Respeite as diferenças

É preciso respeitar o modo de vida de cada um.


Dia 29/03/06 – Quarta – Feira

Foi colado na parede da sala um cartaz com a frase: “A sinceridade não é dizer tudo o que pensa, mas crer em tudo o que se diz.”
Antes de responderem qual o pilar a ser falado neste dia, pedi que lessem a frase.
Pergunta:
Qual o significado da palavra sinceridade?
Resposta:
- Verdadeiro, honesto.

Leitura de um texto explicando a origem da palavra Sincera.

Sincera é uma palavra doce e confiável.
Sincera é uma palavra que acolhe...
É uma palavra que deveria estar no vocabulário de toda alma.
Sincera foi uma palavra inventada pelos romanos.
Sincero vem do velhíssimo latim...
Os romanos fabricavam certos vasos de uma cera especial.
Essa cera era as vezes tão pura e perfeita, que os vasos se tornavam transparentes.
Em alguns casos, chegava-se a se distinguir um objeto, que estivesse no interior do vaso.
Para o vaso, tão puro e transparente, os romanos falavam: Como é lindo... Parece até que não tem cera é um vaso “sine-cera!” Sine-cera (em latim) queria dizer: “sem cera...” “sine-cera” acabou chegando na palavra “sincera” era, pois, uma qualidade de vaso perfeito, finíssimo, delicado, que deixava ver através de suas paredes...
Sincero, aquele que é franco, leal, verdadeiro, que não oculta, que não usa disfarces, malícias ou dissimulares.
O Sincero, a semelhança do vaso, deixa ver através de suas palavras, sentimentos de seu coração.

Comentamos a respeito que às vezes somos obrigados a fugir da sinceridade como: evitar uma visita indesejável, dizendo que não estaremos em casa naquele dia.
Não dizendo a verdade sobre uma opinião que vá ofender ou desagradar o outro.


Dia 30/03/06 – Quinta – Feira

Na sala foi pedido para ser entregue para as pessoas (não foi determinado para quem nem quantidade) aleatoriamente bolachas.
Depois foi perguntado se todos receberam as bolachas e se foi quantidade igual para todos.
A resposta foi sim, portanto foi usado o senso de justiça: igual para todos.

Leitura do texto: Justiça

Conta uma estória da idade média que um homem muito correto foi injustamente acusado por um crime de assassinato. Na verdade, o assassino era uma pessoa influente e encontrou, no pobre homem, um bode expiatório para ser julgado, cuja pena seria a forca.
Tudo estava tramado e, no dia do julgamento, diante de grande platéia, o juiz cinicamente fez uma proposta ao acusado:
-Sou um homem justo e religioso e, por isso, deixarei a sua sorte nas mãos de Deus. Vou escrever num pedaço de papel a palavra “CULPADO” e, em outro pedaço, a palavra “INOCENTE”. Você escolherá um dos papéis e Deus decidirá o seu destino.
Sem que o acusado percebesse, o juiz escreveu nos dois papéis a palavra “CULPADP” e os colocou sobre uma mesa, mandando o acusado escolher.
O pobre homem pensou alguns segundos, aproximou-se da mesa e, num gesto rápido, pegou um dos papéis levando-o à boca e engolindo-o.
Todos os presentes reagiram surpresos e indignados com aquela atitude.
O juiz perguntou:
- Mas o que você fez? E agora? Como vamos saber qual é o veredicto.
- É muito fácil – respondeu o homem. – Basta abrir o outro papel – Basta abrir o outro papel que sobrou e saberemos que o pedaço que escolhi tem a outra palavra.
E imediatamente o homem foi posto em liberdade.

Comentário:
Temos que tomar decisões que são justas e baseadas nos fatos.


Dia 31/03/06 – Sexta – Feira

No último dia de repasse foi apresentado o Pilar verde que tem como valor ético “Responsabilidade”.

Foi pedido para se posicionarem em circulo, e passando o barbante para as mãos de cada um até o final. Aquele que estivesse segurando a ponta final teria que novamente enrolar o barbante e falar uma atitude de responsabilidade daquele dia ou da semana e passar para o seguinte e assim sucessivamente.
Se nesta dinâmica alguém não enrolasse o barbante o que aconteceria? - O seguinte teria que fazer a sua parte e ainda daquele que deixou de fazer.
Comentamos então que: Em uma sociedade, comunidade cada um tem que fazer a sua parte, isto é Responsabilidade.

MOMENTOS DO REPASSE E ATIVIDADES


Nenhum comentário:

Pesquisa personalizada