Pesquisa personalizada

Carta Aberta - Por Jorge Schemes:

No dia 23 de outubro de 2009 solicitei minha saída da coordenação pedagógica do Programa "O Caráter Conta!" na GERED de Joinville, SC. Foi uma decisão pessoal e feita de livre e espontânea vontade.

Todavia, algumas situações ocorridas bem como as circunstâncias que se arquitetaram ao longo deste ano (2009), e que culminaram na reunião feita no Setor de Ensino na data acima exposta, me fizeram tomar essa decisão.

Até então estive calado, porém não alienado, pois meu pensamento e minha formação cognitiva e filosófica é pós-crítica e meus princípios e valores são alicerçados na Santa Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada.

Não posso agredir meus princípios morais e éticos diante de atitudes mesquinhas de segregação, exclusão, discriminação, preconceito, abuso de poder, constrangimento ilegal, falta de ética (no mínimo profissional) e assédio moral. O que eu não faço com os outros, eu não aceito que façam comigo.

Não compactuo com manobras politiqueiras de pessoas mesquinhas que, durante meu tempo de coordenação pedagógica à frente do Caráter Conta na GERED de Joinville, SC, nunca fizeram nada pelo Programa, e além disso visavam a apropriação do esforço e do trabalho alheio já feito durante anos para promoção e benefício próprios, tais pessoas são verdadeiros "vampiros psíquicos e sociais".

Alguém disse certa vez com muita propriedade que, "onde não há ética até o ambiente fica doentio". E tais pessoas, por serem as detentoras do poder, são um verdadeiro foco de doenças emocionais para aqueles que se sujeitam as suas manobras carregadas de tirania e cheias de maldade, mas Deus é justo Juiz e cabe a Ele retribuir a cada um segundo as suas obras.

Desde o início, minha dedicação e empenho para que o Programa "O Caráter Conta!" tivesse êxito nas escolas da Rede Pública Estadual pertencentes a GERED de Joinville, SC, foram constantes. Procurei promover "O Caráter Conta!" nas escolas da Rede Estadual de Ensino, por meio de reuniões com professores, técnicos e gestores, bem como formatá-lo pedagogicamente à realidade local. Procurei dar visibilidade para as ações do Programa por meio deste blog, e o fiz de maneira voluntária e por decisão pessoal, uma vez que o Programa, até a data presente (23/10/2009), não faz parte dos programas oficiais da Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina. Contudo, o mínimo que se espera quando há dedicação e empenho em qualquer atividade que envolva a educação é reconhecimento, valorização, gratidão e respeito. Talvez essa seja a razão porque há tantos professores e professoras desmotivados.

Apesar de tudo valeu a pena toda minha dedicação e esforço. E aqui deixo registrado o meu respeito e a minha gratidão a todos que se comprometeram junto comigo, e de coração voluntário ajudaram a implementar as atividades do "Caráter Conta!" em sua escola, de maneira especial aos professores e professoras, assistentes técnicos pedagógicos e gestores. Acredito no Programa "O Caráter Conta!" como uma ferramenta poderosa de transformação moral e ética dentro da escola e na vida de cada um de seus agentes. Por essa razão continuarei trabalhando os seus pilares em minhas aulas de Ensino Religioso na Rede Municipal de Ensino de Joinville, SC, como já vinha fazendo antes. Atualmente tenho 09 turmas, do Ensino Fundamental, somando mais de 300 alunos envolvidos com o Programa. Estamos trabalhando sistematicamente com várias atividades pedagógicas relacionadas com os pilares do "Caráter Conta!", meus alunos e alunas da Escola Municipal Saul Sant'Anna de Oliveira Dias já produziram redações, acrósticos, poesias, paródias e joguinhos lúdicos relacionados com os pilares do Programa "O Caráter Conta!". Essas atividades todas e muitas outras estão sendo socializadas neste espaço.

Termino afirmando que acredito na educação para o caráter, acredito na proposta e na metodologia do Programa "O Caráter Conta!", não como plataforma de interesses politiqueiros, pessoais e mesquinhos, mas como uma poderosa força moral na construção de uma cultura para a paz.

Que o Deus Eterno e Criador Ilumine a Todos Nós!
Ex-Coordenador Pedagógico do Programa "O Caráter Conta!" na GERED de Joinville, SC, no período de 2004 a 2009.
Atualmente é colaborador e multiplicador voluntário do Programa nas escolas da Rede Municipal de Ensino, onde atua como professor de Ensino Religioso.

Confira Também:

Atividades do Programa "O Caráter Conta"!

ESTUDE A PALAVRA DE DEUS AGORA!

ESTUDE A PALAVRA DE DEUS AGORA!
Cursos e Estudos Bíblicos Gratuítos
Pesquisa personalizada

terça-feira, novembro 11, 2008

Atividades: EEM Governador Celso Ramos

ESTADO DE SANTA CATARINA
SECRETARIA DE ESTADO DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL
GERENCIA DE EDUCAÇÃO - GERED
ESCOLA DE ENSINO MÉDIO GOVERNADOR CELSO RAMOS
JOINVILLLE - SC Fone/FAX: (47) 30261625

PROGRAMA: O CARÁTER CONTA
RELATÓRIO DE ATIVIDADES DESENVOLVIDAS E PROPOSTAS
COORDENADORA: Professora Maria Goreti Gomes
PERÍODO: Março a Agosto 2008

"Caia sete vezes, levante-se oito".
Provérbio Japonês

“Escolha sempre o caminho da sinceridade, da correção, o melhor caminho, mesmo quando pareça ser o mais difícil. O hábito tornará isso mais fácil, compensador e aceitável”.
Pythagoras

JUSTIFICATIVA:
Entendemos que o trabalho com o adolescente é dificultado pela tendência natural a desafiar autoridades, típica desta fase da vida. A dificuldade é ainda maior quando consideramos o fracionamento do currículo e a necessidade de trabalhar a totalidade do currículo escolar, tendo em vista ser esta a última fase da formação básica do cidadão. Além disso, na adolescência, o caráter já foi formado e toda e qualquer mudança de atitude levará muito tempo para transformar-se em hábito.
Entretanto, por entendermos que “O CARÁTER CONTA”, deva permear e nortear todas as ações de nossa escola que sofre com o aumento da violência seja entre os próprios alunos com seus colegas, seja com os professores, seja com os demais membros da comunidade escolar e mesmo com os pais.
Por outro lado, a carga horária diferenciada dos professores e o currículo mínimo, dificilmente possibilitarão a adesão de todos ao programa, até porque a rotatividade em decorrência de licenças médicas e outras, dos professores efetivos, e sua substituição por ACTs, dificulta esse envolvimento tendo em vista de que quem entra e fica por pouco tempo, sequer consegue informar-se e formar-se adequadamente a ponto de estabelecer as estratégias necessárias a adaptação ao programa.
Entretanto, entendemos ser possível envolver os adolescentes na (re)construção do próprio caráter desenvolvendo atividades pedagógicas que privilegiem as atitudes proativas nesta direção. Ao longo do ano letivo cada um dos pilares será reforçado por um mês. As atividades propostas na página oficial do programa para os adolescentes, sugerem a centralização dos esforços na preparação para o mundo do trabalho e a convivência social ampliada, especialmente porque, aos quinze anos (idade mínima de nossos alunos) o caráter poderá ser aprimorado, as atitudes do cotidiano escolar poderão modificar muito pouco as características individuais, a não ser que os estudantes sejam emocionalmente envolvidos. Pois que, mais amadurecidos, os adolescentes sentem necessidade de “tomar as rédeas da própria vida” e muitos iniciam no mercado de trabalho antes mesmo de concluir o Ensino Médio.
Considerando que expressiva parcela de nossos alunos já integra o mercado de trabalho, seja formal ou informalmente, entendemos que as ações do Programa devam provocar “um choque” nos alunos e precisam, acima de tudo, ser ousada e desafiadora na direção da construção de profissionais aptos e conscientes das características primordiais exigidas pelo mercado de trabalho, que em sua essência são as mesmas propostas pelo Programa O Caráter Conta.
Em se tratando de um programa educativo teremos de considerar, em primeiro lugar, a faixa etária de nosso aluno e deverá envolver toda a escola, ser avaliado e redirecionado a cada nova etapa, especialmente porque o que queremos é a mudança de atitude, tanto dos estudantes, quando dos professores e demais funcionários da escola. E isto demanda tempo e perseverança de propósito.

Objetivos Gerais:
Levar o adolescente a sentir a necessidade de mudar suas atitudes especialmente no que se refere à aquisição das habilidades propostas em cada pilar para que possa competir, em igualdade de condições, com seus colegas da mesma idade, no mercado de trabalho.
Levar o adolescente a perceber que a escola é o primeiro e principal contato com o mercado de trabalho e o mundo exterior, os adultos envolvidos no processo educacional são as pessoas que podem e devem mostrar o caminho para o sucesso na vida profissional e pessoal, tendo em vista de que somente com a ajuda dos diretores, professores, assessores pedagógicos e demais profissionais que atuam na escola, os estudantes poderão perceber a diferença entre desenvolvimento humano e profissional e tutela que acaba no exato momento em que ele pega o diploma na mão e terá, então que assumir as rédeas de sua própria vida.
Construir uma escola voltada à construção de pessoas capazes de vivenciar um mercado de trabalho competitivo, mas sem perder de vista a base implementada pelos seis pilares do programa: SINCERIDADE, RESPEITO, RESPONSABILIDADE, SENSO DE JUSTIÇA, ZELO e CIDADANIA.

Objetivo específico:
Provocar a mudança de atitude de estudantes, professores e demais envolvidos, passando a construir as relações com base nos seis pilares do programa.
Fazer com que os estudantes percebam que “qualquer um pode ficar enfurecido e zangado - isso é fácil. Mas ficar enfurecido com a pessoa certa, no grau certo e adequado, pelo motivo certo e do modo certo - isso não é fácil”, como já disse o filósofo grego, Aristóteles.

Algumas atividades:
Conscientes de que os resultados serão alcançados mais eficientemente, quanto maior for a participação dos envolvidos e contando com a ajuda da Orientadora Maria de Fátima, que também participou da capacitação realizada em fevereiro, iniciamos conversas e algumas ações individuais, com vista a criar o ambiente adequado ao início das ações coletivas.
Nas semanas seguintes à capacitação, as duas participantes, encontraram-se por diversas vezes para estabelecer o cronograma e formas de repassar as diretrizes do programa aos demais integrantes da comunidade escolar. Decidiu-se pelo repasse inicialmente para os professores e funcionários e em seguida aos alunos e, somente mais tarde, aos pais e comunidade.
A orientadora Fátima desenvolveu atividades com algumas turmas de estudantes, notadamente nos momentos em que havia falta de professor em sala, aplicando dinâmicas, levantando e tabulando dados. Nestes momentos, os alunos leram o texto “Decisão”, a história da menina de 15 anos que sofre um grave acidente por ter decidido passar algumas horas com o namorado em vez de permanecer na festa para a qual havia sido autorizada pelos pais.
O repasse para professores e funcionários aconteceu durante a reunião pedagógica do dia 31 de março. A professora Maria Goreti Gomes preparou um slide apresentando o programa e promovendo reflexões, aos moldes do curso de capacitação. A orientadora Fátima apoiou preparando e desenvolvendo algumas dinâmicas na semana que antecedeu a reunião e durante a mesma.

Dicas diárias:
Uma atividade de motivação iniciou o processo de reflexão sobre os pilares do Programa. Diversas frases e perguntas foram colocadas num ponto na sala dos professores que foram orientados a diariamente pegar um papel contendo uma frase ou pergunta intimista.
No dia da reunião, os professores puderam colar as frases que “ornamentaram” sua semana em um grande cartaz.
A apresentação do programa aos professores foi antecedida por uma dinâmica que incluiu um abraço nos colegas, um pouco da terapia do abraço.
Figura 1- Dinâmica promoveu a integração logo no início das atividades

Figura 2 – Balões nas cores dos pilares e dinâmicas foram algumas estratégias usadas

Os professores participaram ativamente das apresentações e dinâmicas durante as duas horas de apresentação e ficou definido que novos momentos seriam definidos com a articulação de grupos de coordenação, envolvendo alunos, professores, funcionários enfim, toda a escola.
Figura 3 -Repasse aos professores e funcionários
Figura 4- DINÂNICA durante repasse aos professores e funcionários

Repasse aos alunos:
Durante o Conselho de Classe do primeiro bimestre, ficou definido que a professora Maria Goreti apresentaria o programa aos representantes de sala e membros da diretoria do Grêmio Estudantil, eleita neste mês de abril, para então iniciar-se, efetiva e coordenadamente as atividades do programa.

Figura 5 - Professora Maria Goreti Gomes fazendo o repasse aos representantes de turma

Atividades em desenvolvimento e a serem desenvolvidas:
Durante os meses de abril a maio, na Sala de Línguas, por onde passam todos os alunos, a professora de Inglês, Maria Goreti Gomes, coordenou os trabalhos juntamente com os colegas Professores Ronaldo e a professora de Espanhol Maria Iramir. Na Sala de Línguas foram afixadas várias frases, em inglês, que foram sendo traduzidas e discutidas durante as aulas.
O primeiro passo foi iniciar um trabalho referente à limpeza e organização do ambiente escolar, mantendo a limpeza inicialmente da sala de línguas, visto que foi constatado que em todas as salas de aula e espaços conjuntos da escola, os alunos estavam deixando lixo, restos de alimentos e riscando carteiras e paredes.
Figura 6 - Pilar RESPEITO estudantes traduziram as frases e confeccionando cartazes

Os pilares do zelo, respeito, cidadania e responsabilidade foram os primeiros a serem discutidos. Por trata-se de alunos do Ensino Médio, estes são os mais ligados ao cotidiano dos estudantes. Todas as oportunidades são aproveitadas para inserir o programa de cada disciplina, tentando melhorar a convivência entre os estudantes.
No início de junho, durante a Semana do Meio Ambiente as ações do programa foram implementadas em todos os ambiente, mesmo sem citar se tratar do pilar Zelo. Trabalhou-se principalmente o Respeito ao outro, a sim mesmo e ao ambiente.
Na sala de Línguas, foram afixadas várias frases do programa, todas em inglês, que foram sendo traduzidas e discutidas durante as aulas de inglês e, após traduzidas, reproduzidas em cartazes e outras formas impressas e fixadas nas salas de aula. A limpeza, o respeito e a organização do espaço da sala de aula são cobrados em todos os momentos pelos professores e, após a semana do meio ambiente, até mesmo pelos próprios alunos.
Algumas pilastras da escola foram decoradas com faixas amarela (Respeito) e verde (responsabilidade). A Diretora Pedagógica Vera--- assumiu a coordenação dos trabalhos de pesquisa e reprodução de materiais, bem como o incentivo permanente de todos professores da escola à aderirem ao programa.
As dependências da escola ganharam, de um para outro dia, pequenos cartazes lembrando o pilar trabalhado na semana, produzidas em conjunto com a supervisora Regina, coladas com etiquetas na cor do pilar.
Toda e qualquer atividade proposta aos alunos são aproveitadas para inserir o programa no cotidiano, tentando melhorar a convivência entre os estudantes.
No que à Língua estrangeira, o Livro didático usado na escola, facilita ainda mais as discussões, pois seus textos já tratam dos temas.
Figura 7- Pilar RESPEITO - Alunos do Terceiro ano confeccionando cartazes
Figura 8 – Estudantes traduziram frases e cartazes da Sala de Línguas

No final do mês de junho, os estudantes já haviam trabalhado os pilares do Respeito e Zelo. As atitudes foram observadas especialmente na diminuição do lixo e nos rabiscos nas carteiras da Sala de Línguas, espaço em que trabalham as atividades específicas do programa por mais tempo.
Durante a semana do Meio Ambiente, trabalhando o triângulo do Respeito: Respeito ao Outro, Respeito a si próprio e Respeito ao Meio Ambiente, a escola desenvolveu atividades que reforçaram a necessidade de cuidar do ambiente comum a todos: o pátio, os banheiros, os corredores; e os coletivos para grupos menores, como a sala de aula, por exemplo.
Ao final de dois meses, a escola está ficando mais limpa após o recreio e de cada turno de aulas, mas ainda há muito a ser feito.
Figura 9 - Alunos do 3ºAno pesquisaram sobre cursos superiores e apresentaram informações aos colegas

Durante as aulas de Inglês da professora Maria Goreti Gomes os alunos dos segundos e terceiros anos do matutino e todos os do período noturno, reunidos em duplas e trios, tiveram a incumbência de traduzir frases e as principais atitudes do pilar Respeito e criar mídias impressas (a maioria optou por cartazes) e, ao apresentar seu trabalho aos colegas, relatar e analisar situações cotidianas em que responderam ou não, com atitude de respeito.
Após as apresentações, os cartazes foram colados nas paredes das salas de aula e nos corredores.
Nas aulas de filosofia e sociologia, sob a orientação da professora Claudete Farneda as discussões foram ampliadas.
Antes de iniciar o recesso escolar, os alunos, organizados em equipes receberam a orientação para pesquisar e preparar a Feira de profissões envolvendo os estudantes do 3o Ano e uma Feira de Países que participam das Olimpíadas. Entre as solicitações estavam diversas relacionadas à cultura, curiosidades, dados sócio-econômicos e o processo educacional dos países. Bem como características necessárias ao bom profissional das mais diversas áreas trabalhadas. Os trabalhos culminaram numa feira, realizada no dia 13 de agosto e com este trabalho, deu-se início ao reforço do pilar Responsabilidade.
O projeto previa que cada equipe estipulasse uma meta a ser alcançada e ao respeitar as diferentes, trabalhar em equipe e assumir a responsabilidade por uma parte dos trabalhos, cada aluno pode vivenciar a importância de fazer aquilo que prometeu fazer, dentro do tempo determinado e com o objetivo de auxiliar na construção não somente do seu conhecimento, mas de todos os colegas da equipe e da escola. A autodisciplina e o envolvimento com a equipe de trabalho e os familiares, foi total.
Os trabalhos relacionados ao pilar Responsabilidade continuam a ser efetivados e a próxima fase, é fazer com que os alunos concluam que as habilidades exigidas pelo mercado do trabalho como auto-disciplina, prontidão para a aprender sempre, perseverança na busca pela excelência, fazer sempre o melhor, pensar antes de agir sempre considerando as conseqüências e assumir a responsabilidade pelas escolhas e atos, são aprendidas na escola.

AVALIAÇAO:
A redução na quantidade de atritos entre os alunos e destes com os professores não foi medida, mas tanto as salas de aula, quanto os espaços coletivos estão ficando mais limpos ao final de cada período letivo. Mas como se trata de um trabalho contínuo, uma avaliação mais eficaz será possível somente no final do ano letivo ou, parcialmente, na reunião pedagógica prevista para o dia 12 de setembro.
Em relação ao trabalho elaborado para a Feira, os estudantes foram avaliados em todos os aspectos mensuráveis do ponto de vista cognitivo e uma auto-avaliação do grupo por si próprio, fez com que cada um assumisse as conseqüências de seus atos e atitudes, durante todo o período de preparação e realização da Feira.
Todas as atividades integraram o currículo das disciplinas e portanto, as atividades foram propostas e cobradas dentro dos critérios dos professores de cada disciplina.

REFERÊNCIAS Bibliográficas:
Apostilas Companheiros das Américas & Josephson Institute of Ethics.
GOOD IDEAS – Livro doado pelos promotores do Programa e traduzido pela professora.

Joinville, agosto de 2008.
Pesquisa personalizada