Pesquisa personalizada

Carta Aberta - Por Jorge Schemes:

No dia 23 de outubro de 2009 solicitei minha saída da coordenação pedagógica do Programa "O Caráter Conta!" na GERED de Joinville, SC. Foi uma decisão pessoal e feita de livre e espontânea vontade.

Todavia, algumas situações ocorridas bem como as circunstâncias que se arquitetaram ao longo deste ano (2009), e que culminaram na reunião feita no Setor de Ensino na data acima exposta, me fizeram tomar essa decisão.

Até então estive calado, porém não alienado, pois meu pensamento e minha formação cognitiva e filosófica é pós-crítica e meus princípios e valores são alicerçados na Santa Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada.

Não posso agredir meus princípios morais e éticos diante de atitudes mesquinhas de segregação, exclusão, discriminação, preconceito, abuso de poder, constrangimento ilegal, falta de ética (no mínimo profissional) e assédio moral. O que eu não faço com os outros, eu não aceito que façam comigo.

Não compactuo com manobras politiqueiras de pessoas mesquinhas que, durante meu tempo de coordenação pedagógica à frente do Caráter Conta na GERED de Joinville, SC, nunca fizeram nada pelo Programa, e além disso visavam a apropriação do esforço e do trabalho alheio já feito durante anos para promoção e benefício próprios, tais pessoas são verdadeiros "vampiros psíquicos e sociais".

Alguém disse certa vez com muita propriedade que, "onde não há ética até o ambiente fica doentio". E tais pessoas, por serem as detentoras do poder, são um verdadeiro foco de doenças emocionais para aqueles que se sujeitam as suas manobras carregadas de tirania e cheias de maldade, mas Deus é justo Juiz e cabe a Ele retribuir a cada um segundo as suas obras.

Desde o início, minha dedicação e empenho para que o Programa "O Caráter Conta!" tivesse êxito nas escolas da Rede Pública Estadual pertencentes a GERED de Joinville, SC, foram constantes. Procurei promover "O Caráter Conta!" nas escolas da Rede Estadual de Ensino, por meio de reuniões com professores, técnicos e gestores, bem como formatá-lo pedagogicamente à realidade local. Procurei dar visibilidade para as ações do Programa por meio deste blog, e o fiz de maneira voluntária e por decisão pessoal, uma vez que o Programa, até a data presente (23/10/2009), não faz parte dos programas oficiais da Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina. Contudo, o mínimo que se espera quando há dedicação e empenho em qualquer atividade que envolva a educação é reconhecimento, valorização, gratidão e respeito. Talvez essa seja a razão porque há tantos professores e professoras desmotivados.

Apesar de tudo valeu a pena toda minha dedicação e esforço. E aqui deixo registrado o meu respeito e a minha gratidão a todos que se comprometeram junto comigo, e de coração voluntário ajudaram a implementar as atividades do "Caráter Conta!" em sua escola, de maneira especial aos professores e professoras, assistentes técnicos pedagógicos e gestores. Acredito no Programa "O Caráter Conta!" como uma ferramenta poderosa de transformação moral e ética dentro da escola e na vida de cada um de seus agentes. Por essa razão continuarei trabalhando os seus pilares em minhas aulas de Ensino Religioso na Rede Municipal de Ensino de Joinville, SC, como já vinha fazendo antes. Atualmente tenho 09 turmas, do Ensino Fundamental, somando mais de 300 alunos envolvidos com o Programa. Estamos trabalhando sistematicamente com várias atividades pedagógicas relacionadas com os pilares do "Caráter Conta!", meus alunos e alunas da Escola Municipal Saul Sant'Anna de Oliveira Dias já produziram redações, acrósticos, poesias, paródias e joguinhos lúdicos relacionados com os pilares do Programa "O Caráter Conta!". Essas atividades todas e muitas outras estão sendo socializadas neste espaço.

Termino afirmando que acredito na educação para o caráter, acredito na proposta e na metodologia do Programa "O Caráter Conta!", não como plataforma de interesses politiqueiros, pessoais e mesquinhos, mas como uma poderosa força moral na construção de uma cultura para a paz.

Que o Deus Eterno e Criador Ilumine a Todos Nós!
Ex-Coordenador Pedagógico do Programa "O Caráter Conta!" na GERED de Joinville, SC, no período de 2004 a 2009.
Atualmente é colaborador e multiplicador voluntário do Programa nas escolas da Rede Municipal de Ensino, onde atua como professor de Ensino Religioso.

Confira Também:

Atividades do Programa "O Caráter Conta"!

ESTUDE A PALAVRA DE DEUS AGORA!

ESTUDE A PALAVRA DE DEUS AGORA!
Cursos e Estudos Bíblicos Gratuítos
Pesquisa personalizada

quarta-feira, abril 12, 2006

ATA DA REUNIÃO DE 06 DE ABRIL DE 2006


SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL
GERÊNCIA DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA
GEECT – JOINVILLE – SC


ATA DA REUNIÃO DO PROGRAMA “O CARÁTER CONTA”

DATA: 06/04/2006 – HORÁRIO: 15:00 h. – LOCAL: GEECT

Escolas e instituições presentes:

1. EEB João Rocha.
2. EEB Gertrudes Benta Costa.
3. EEB Maria Amim Ghanen.
4. EEB Rudolfo Meyer.
5. EEB Rui Barbosa.
6. EEB Jorge Lacerda.
7. EEB Tufi Dippe.
8. EEB João Martins Veras.
9. EEB Almirante Boiteux.
10. EEB Elpídio Barbosa.
11. EEB Elvira Faria Passos.
12. EEB Lea Maria Aguiar Lepper.
13. EEB Claurinice Vieira Caldeira.
14. EEB Engenheiro Annes Gualberto.
15. EEB Dr. Ruben R. Schmidlin.
16. EEB Victor Konder.
17. EEF Senador Rodrigo Lobo.
18. EEB Albano Schmidt.
19. EEB Nicola Baptista.
20. EEB Felipe Schimidt.
21. EEB Gustavo Augusto Gonzaga.
22. EEB Georg Keller.
23. EEB Dom Pio de Freitas.
24. EEB Vereador Guilherme Zuege.
25. EEM Nagib Zattar.
26. EEB Juracy Maria Brosig.
27. EEF Tancredo de A. Neves.
28. EEB Giovani P. Faraco.
29. EEF Monsenhor S. Scarzello.
30. EEB Conselheiro Astrogildo O. Aguiar.
31. EEB Vereadora Ruth Nóbrega Martinez.
32. EEB Arnaldo Moreira Douat.
33. EEB João Colin.
34. EEB Nair da Silva Pinheiro.
35. EEB Conselheiro Mafra.
36. EEB Carmem Seara Leite.
37. EEB Titolívio Venâncio Rosa.
38. EEF Marli Maria de Souza.
39. EEB Nereu Ramos.
40. EEB Prefeito Higino Aguiar.
41. EEB Dom Gregório Warmeling.
42. EEB David Pedro Espíndola.
43. EEB Rudolfo Meyer.
44. EEB Germano Timm.
45. EEB Santa Catarina.
46. EEB Plácido O. Oliveira.
47. EEB Engenheiro Annes Gualberto.
48. EEB Maestro F. M. da Silva.
49. EEB Presidente Médice.
50. EEB Alícia B. Ferreira.
51. EEB Antônia A. C. Santos.
52. EEB Plácido Xavier Vieira.
53. EEB Jandira D’Ávila.
54. EEB Osvaldo Aranha.
55. Gerência da Educação, Ciência e Tecnologia (GEECT).
56. Arautos do Evangelho de Joinville.

Escolas ausentes sem justificativa:

1. EEB Carlos da Costa Pereira.
2. EEM Governador Celso Ramos.
3. EEM Eladir Skibinski.
4. EEB Francisco Eberhardt.
5. EEF João Alfredo Moreira.
6. EEB Olavo Bilac.
7. EEB Paulo Medeiros.

A abertura da reunião foi feita por Jorge Schemes da GEECT, o qual distribui a todos os presentes, brindes cedidos pela Universidade da Virgínia (USA) e também um CD da apostila do Programa “O Caráter Conta” em português, e deu as boas vindas a todos e agradeceu a presença. Em seguida fez uma leitura do texto “O Rosto” para reflexão:

O ROSTO
Por: Jorge Schemes*

O rosto, como manifestação do humano é paradoxal, pois é ao mesmo tempo objetividade e subjetividade, tristeza e alegria, angústia e paz, “totalidade e infinito” (para mencionar uma das expressões de Emmanuel Lévinas). O rosto é manifestação e mistério; é concretude e idealismo, mas é no rosto e por ele que percebemos e somos percebidos enquanto seres humanos; o rosto nos aproxima e nos remete a uma necessidade ética universal. É pelo rosto que o outro nos impõe a necessidade de uma “alterconsciência” que de maneira nenhuma subjuga ou anula a autoconsciência. Essa “alterconsciência” (Consciência do outro) impõe a ética da alteridade como filosofia primeira, o que pressupõe uma relação ou inter-relação norteada pelo princípio do diálogo e da reverência. A ética da alteridade condena a segregação, a exclusão, os pré-conceitos e pré-juízos, e contempla o acolhimento do outro, a solidariedade, a diversidade e a justiça, não apenas como um discurso retórico, mas como atitude moral de comprometimento com o diferente, incluindo nesta classificação a nós mesmos, e conseqüentemente com o totalmente outro.
O rosto é a manifestação universal do humano no ser, do totalmente outro, fragmentado pelo mundo pós-moderno da técnica. O rosto é o clamor que se expressa sem palavras e que exige uma resposta ética, pois é no rosto e por ele que a totalidade do alter (outro) se comunica com o ego (eu), e é no rosto e por ele que o infinito (o transcendente) se torna um mistério e ao mesmo tempo se deixa antever. O rosto do outro assim como o meu rosto para o outro são ao mesmo tempo independentes e interdependentes, no sentido ético e moral isso significa autonomia e heteronomia. A ética da alteridade tem seu pressuposto fundamentado na heteronomia sem a exclusão da autonomia. Assim, o que importa é a relação ética que fundamenta as ações e o comportamento diante do rosto de outrem e dele para o nosso.
O rosto é clamor e exigência ética, ignorá-lo é viver no vazio do egoísmo individualista da autoconsciência. Antes de uma ontologia, faz-se necessário e imperativo uma alterconsciência ética. Ignorar o rosto e sua manifestação caleidoscópica e concreta diante de nós, equivale a ignorar o transcendente. O rosto é o convite ético do infinito na forma finita. Esse convite exige uma resposta do ego (eu), e essa resposta só pode ser possível por meio da ética da alteridade como filosofia primeira. O rosto nos impõe responsabilidade moral, o rosto nos conclama à justiça social, o rosto do outro estabelece os limites éticos e morais de minhas ações. Olhar no rosto do outro estabelece o primeiro passo para o compromisso e para o comprometimento ético, pois não podemos viver apenas para o ego solitário (egocentrismo) sem considerar que o rosto do outro nos convoca à justiça social e à solidariedade. O outro e nós mesmos nos revelamos no rosto na categoria de humanos, na condição de igualdade, mas ao mesmo tempo nos ocultamos nele, pois como já refletimos o rosto é totalidade humana (finitude) e totalidade divina (infinito e transcendência). O rosto é a expressão do humano que se impõe ao anti-humanismo pós-moderno, o qual vem até nós embrulhado na forma do consumismo. O rosto do outro, do excluído, é grito e súplica, e é ao mesmo tempo manifestação ética e exigência ética. O rosto do outro nos convoca à alteridade na qualidade de filosofia primeira. E como filosofia primeira, a alteridade se manifesta na ética em sua mais pura essência e forma.
* Bacharel em Teologia Línguas Bíblicas (Grego e Hebraico). Licenciado em Pedagogia: Administração Escolar e Séries Iniciais. Licenciado em Ciências da Religião: Habilitação em Ensino Religioso. Pós-Graduado em Interdisciplinaridade na Educação com Metodologia do Ensino Superior. Pós-Graduado em Psicopedagogia Clínica e Institucional. Técnico Pedagógico na GEECT – Gerência da Educação, Ciência e Tecnologia. Professor de Filosofia da Educação na ACE – Joinville, SC. Escritor e Palestrante.

Em seguida justificou a ausência de Susanna Bender do IEPES, a qual não pode estar presente por motivos pessoais. Passou o site do Programa O Caráter Conta para publicação de atas e relatórios das ações desenvolvidas nas escolas, bem como de textos e material produzido pelos participantes, ou seja: www.ocaraterconta.blogspot.com – solicitou aos presentes que imprimissem cópia do cronograma para 2006 para que todas as escolas estejam trabalhando os mesmos pilares concomitantemente. As escolas deverão enviar para o professor Jorge Schemes até o dia 27 de abril o relatório do repasse da capacitação, o qual deve envolver todos os professores e todo o corpo técnico-administrativo da escola. Este relatório deverá ser enviado à GEECT em disquete, CD ou via e-mail para: jorgeschemes@yahoo.com.br – não será aceito relatório impresso. O total da carga horária do repasse deverá somar um total de seis horas de atividade. A professora Deise da EEB tufi Dippe falou aos presentes da experiência que teve ao trabalhar o Programa O Caráter Conta na sua escola e o quanto isso foi positivo para os professores, os quais gostaram e elogiaram bastante o Programa. Jorge ainda lembrou que este Programa não é apenas um projeto para ser desenvolvido em determinado período, mas trata-se de um Programa que precisa ser implantado como filosofia ética e moral permanente na unidade escolar. O Caráter Conta precisa ser inserido no Plano Político Pedagógico (PPP) da escola para garantir a sua implementação e continuidade. Para tanto, cada escola foi desafiada a elaborar um projeto do Caráter Conta levando em consideração a sua realidade social. Falou também que alguns materiais cedidos pela Universidade da Virgínia (USA), como livros e cartazes, bem como fitas de vídeo ficarão na GEECT e no NTE (Núcleo de Tecnologia Educacional) para que as escolas possam reproduzir. A professora Auricélia da escola Maria Amim Ghanen expôs para o grupo que a escola elaborou uma apostila sobre os valores que são enfatizados em cada um dos pilares do caráter. Disse que os professores podem estar trabalhando dentro da sua área de conhecimento cada um dos pilares. Auricélia contou em como os alunos trabalharam os pilares elaborando jogos. A professora ainda comentou da melhora que a escola obteve na educação e no comportamento dos alunos depois da adoção do Programa desde o ano de 2004 quando participaram da primeira capacitação. Jorge Schemes da GEECT disse que a apostila elaborada pela professora Auricélia já está disponível no site mencionado, basta acessá-lo para tirar uma cópia. Em seguida convidou o jovem Vinícius dos Arautos do Evangelho para ter a palavra. Vinícius falou do projeto desenvolvido pelos Arautos do Evangelho em Joinville no centro juvenil do bairro Saguaçú; também falou do projeto cultural desenvolvido nas escolas da rede pública de ensino, o qual envolve teatro, defesa pessoal, músicas clássicas, dentre outros. Para finalizar a reunião o professor Jorge Schemes fez sorteios de brindes cedidos pela Universidade da Virgínia (USA) e, após agradecer a presença de todos, entregou vários exemplares para cada escola dos cartazes do Programa “O Caráter Conta”.

Jorge Schemes
Coordenador do Programa O Caráter Conta na GEECT de Joinville, SC.
Ata da Reunião de 06/04/2006 – 15:00 horas.
Local: GEECT de Joinville, SC.

segunda-feira, abril 03, 2006

APOSTILA: EEF MARIA AMIN GHANEM

EEF Professora Maria Amin Ghanem

Apostila:

“O CARÁTER CONTA”

Março – 2006

Programa “O Caráter Conta”


O Caráter Conta é um programa educativo para jovens e tem recebido ênfase e apoio nos Estados Unidos e em diversos países da América do Sul, visando proporcionar a educação de valores aos nossos jovens.
Desde 1997, várias das 19 Seções dos Companheiros Estados Unidos e Brasil uniram esforços para participarem de programas educativos em ética através de recursos para viagens internacionais e apoio a seminários e workshops no Brasil, sob programa de educação e Cultura dos Companheiros das Américas. Há poucos anos, voluntários dos Companheiros de seis Seções brasileiras trabalharam juntos para produzir para o português material selecionado do programa “O Caráter Conta”, do Instituto Josephson de Ética, que é baseado em valores éticos de consenso, fundadores de uma sociedade livre e democrática. Estes valores, chamados “Pilares do Caráter” são: sinceridade, respeito, responsabilidade, senso de justiça, zelo e cidadania, valores estes que fortificam a vida do ser humano.
Estes programas educacionais para a ética/valores/caráter, com base na escola, foram criados para proporcionar uma moldura filosófica e atividades práticas em apoio à escola, pais, família e comunidade e são incorporados a todas as áreas de estudo – matemática, história, ciências, artes, filosofia, português, etc.
O Programa “O Caráter Conta” não é somente um projeto escolar, mas também é comunitário, serve para os negócios e para a vida. É um programa que serve para todas as pessoas, não só para crianças. Este programa teve início quando um advogado desejou homenagear seu pai, pelo caráter e pelo homem que ele foi. Mas ele também tinha um propósito, o de melhorar o caráter dos futuros profissionais. Para isto, foi realizada uma pesquisa em 1998, com 20 mil alunos do segundo grau, o resultado foi o seguinte:
50% dos alunos roubavam;
70% dos alunos trapaceavam;
92% dos alunos mentiam para os pais.

Em 2002 fizeram novamente a pesquisa e não houve melhora.
Este programa já existe há oito anos e teve seu início em Aspen, no Colorado e quer formar uma linguagem universal, para que todos possam comungar, concordar, quer dizer: “possam falar a mesma língua”. Para tanto, formaram a Declaração de Aspen: “A educação do caráter é obrigação das famílias, mais também das comunidades de fé, escolas, organizações de jovens, etc”, trabalhando-se os valores através dos seis pilares citados acima.
Este programa não é político, não está ligado a nenhuma religião, portanto, todos podem trabalhar e participar, pois é um trabalho constante, direto e começa com os pequenos, mas antes deve começar por nós mesmos, afinal somos os modelos.

Possuem uma sigla – TEAM e significa:

T – professor desenvolve, acrescenta;
E – reforça com elogios, cobra sem humilhar, sem preconceito;
A – advoga, promove o ideal do programa e;
M – modelo, referência, demonstra ações corretas.
Outros exemplos de promoção de valores e desenvolvimento do caráter são o esporte, a música, a arte, etc.
Ao término de cada pilar são feitas reuniões para verificar a eficiência dos mesmos, sua utilização, e o mesmo é feito com os alunos, e os que absorvem bem os pilares recebem um reforço (elogio) ou recompensa (como um almoço com os professores, um lanche diferenciado, etc). Todos os funcionários da escola participam do cultivo dos pilares.
Não importa a etnia, classe social ou religião, estes valores devem ser preservados, para que a sociedade possa manter a família, a amizade, a dignidade, a ordem, a harmonia nos relacionamentos pessoais, as instituições, a educação, enfim, criar uma cultura da paz e de pessoas firmes no seu caráter.

Vamos falar sobre cada um dos seis pilares:

RESPEITO - Compreender, aceitar e valorizar a diversidade e os indivíduos. Cada indivíduo é um ser único. Perceber a diversidade e as diferenças é o primeiro passo para praticar o respeito. É preciso compreender os indivíduos como eles são, independentemente de origem, raça, idade, sexo ou estilo de vida, reconhecendo a todos direitos iguais. Respeitar, é valorizar as diferenças individuais, estimulando a aprendizagem e o crescimento mútuo. Respeitar, é ouvir e entender o ponto de vista da outra pessoa, as motivações e razões, colocando-se em seu lugar, sem impor as próprias idéias.

“Compreensão de que todas as pessoas precisam sentir-se respeitadas e sentir que delas se exige respeito”.

O convívio com o respeito na escola é a melhor experiência que pode ser oferecida ao aluno. É vivendo experiências de respeito e refletindo sobre o mesmo nas diferentes áreas de conhecimentos que se aprende a respeitar e a exigir respeito.
Os alunos podem ser estimulados a conhecer melhor as suas potencialidades e a de seus colegas, por meio do auxílio que o professor pode oferecer. Uma forma valiosa é a construção do respeito mútuo, por meio da cooperação.

“Reconhecimento dos limites e possibilidades pessoais e alheias”.

“Identificação e repúdio de situações de desrespeito”.

Existem situações de preconceito, como apelidos pejorativos, aqueles cuja aparência não corresponde a um modelo ocasionalmente valorizado, assim, como discriminações relacionadas a religiões, etnia, sexo, etc.
Tomar consciência da necessidade de se desculpar diante das atitudes tomadas, se estas desrespeitam os outros.

“A melhor maneira de viver com honra no mundo, é ser o que você quer ser”. (Sócrates)

O QUE AS PESSOAS ESPERAM DE VOCÊ?

 Seja educado e cordial no tratamento com as pessoas;

 Busque a comunicação direta, falando abertamente coam as pessoas sobre seus erros e acertos;

 Respeite a dignidade das pessoas ao apontar resultados negativos;

 Reforce o bom trabalho, o esforço e as qualidades das pessoas por meio de elogios e reconhecimentos, sem se sentir para isto, inferior;

 Ouça, aceite e valorize opiniões contrárias as suas, bem como sugestões de melhorias ou críticas, independentemente do nível hierárquico;

 Considere o ponto de vista das outras pessoas no processo de tomadas de decisões;

 Compartilhe com os colegas toada a informação que lhes possa ser útil, garantindo a confiabilidade necessária à sua função;

 Integre-se e relacione-se com pessoas de outras áreas, em ocasiões sociais ou de trabalho, independentemente do nível hierárquico;

 Cumpra todos os seus compromissos;

 Empenhe-se para atingir os objetivos e resultados, ainda que as condições não sejam a s melhores para a realização do trabalho;

 Contribua com os trabalhos, idéias e sugestões para a resolução de problemas e para atingir os objetivos;

 Assuma responsabilidade pelos resultados positivos e negativos;

 Procure auxílio de outros colegas quando acreditar que não poderá alcançar um objetivo sozinho, assegurando o alcance dos resultados;

 Forneça auxílio sempre que alguém solicite, ainda que não seja específico de sua área;

 Expresse abertamente a própria opinião, porém, se está não for aceita pelo grupo, colabore na implementação de idéias dos colegas;

 Esteja atento a toadas a s expectativas e necessidades de seu aluno, enfim;

 Represente positivamente a sua escola em todos os lugares.


SINCERIDADE – Agir de forma justa, honesta, leal, íntegra, transparente, confiável e com imparcialidade. Ter sinceridade é manter a honestidade, a coerência e a transparência como princípios fundamentais nas relações com as pessoas. É assegurar que os interesses da escola sejam preservados, garantindo uma relação de confiança entre funcionários, alunos, pais e comunidade.

“Cada mentira ou decepção pode ser uma bomba”.

O QUE AS PESSOAS ESPERAM DE VOCÊ?

 Dê o exemplo, praticando os comportamentos de acordo com os valores da escola;

 Seja verdadeiro, direto e imparcial nas relações com os outros, não deixando que questões pessoais perturbem seu desempenho ou dos colegas;

 Julgue com imparcialidade, seja reto e justo;

 Contribua para eliminar boatos (fofocas) sobre pessoas ou situações;

 Atribua a todos os envolvidos o mérito dos bons resultados conquistados, não assumindo o mérito dos outros;

 Mantenha sigilo das informações confidenciais da escola, dos alunos, pais e de outras instituições;

 Seja uma pessoa que honra os seus compromissos e palavras dadas, evitando as desculpas “esfarrapadas”.

 Seja amigo (a), confiável, apóie, proteja informações, esteja ao lado da família;

 Não traia a confiança, não minta, não trapaceie e não roube.

“Até as menores mentiras e traições podem fazer desmoronar uma torre de confiança”.

RESPONSABILIDADE – Diz-se de quem deve cuidar de algo ou alguém e de mantê-lo em certa condição ou de quem deve realizar certa tarefa. Responsabilidade também é obrigação, pois devemos justificar as nossas próprias ações ou de outras pessoas, que em caso de culpa, pode ser punido ou julgado. O ser humano é dotado de discernimento do certo e errado, e é capaz de conhecer e entender as regras e leis e de determinar a própria vontade e ação.
Para viver em harmonia e resolver os seus problemas, as famílias, escolas, comunidades e nações dependem de seus membros fazerem, cada qual, a sua parte. Somos todos membros de algum grupo, sociedade ou família. Independentemente de você saber ou não, gostar ou não, muitas pessoas estão sempre dependendo de você, que você faça bem a sua parte e sirva de bom exemplo.

O QUE AS PESSOAS ESPERAM DE VOCÊ?

 Pense bem antes de agir;

 Considere os efeitos de seus atos em você mesmo e nos outros;

 Demonstre ser responsável assumindo os resultados de seus atos e omissões;

 Seja digno (a) de confiança, cumpra com os seus deveres;

 Dê um bom exemplo em tudo o que diz ou faz;

 Pense em formas de tornar a sua escola, sua organização, sua comunidade ou a sua casa, em lugares melhores para todos conviverem;

 Dê o melhor de si, fazendo de todos os seus atos, motivo de orgulho;

 Cumpra com as suas obrigações e deveres, mesmo quando elas forem difíceis.

“Uma pessoa de caráter sabe discernir o certo do errado”.

CIDADANIA – Condição de cidadão. Indivíduo ou sujeito no gozo dos direitos civis e políticos de um Estado. Entende-se aqui cidadão como uma categoria de mobilização e não de localização. Para os gregos antigos, o político era aquele que participava dos negócios da pólis. Quando a cultura grega foi assumida e difundida pelos romanos, que falavam latim, a pólis virou a cive em sua língua. É da palavra latina cive que se origina a palavra cidade, no português, e é também dela que vem a palavra cidadão. Portanto, cidadania é sinônimo de política no sentido grego, assim como cidadão e político, são a mesma.
O cidadão não espera que o outro lhe dê condições necessárias para participar, pois essas condições brotam de si mesmo. É autodeterminação. O cidadão sabe que é preciso buscar, é preciso conquistar. É uma ação que não se acaba. O cidadão é, sobretudo o participante.
Para ter uma participação política efetiva, os cidadãos devem se organizar para a defesa de interesses comuns, adquirindo vez e voz.
Pela associação de todos os cidadãos, manter-se-á viva a noção que o ser humano convive e far-se-á a defesa da democracia como a forma de governo que permite essa efetiva participação. E, com ela, os membros da sociedade não esperarão o chamamento, pois estarão participando por livre e espontânea vontade, pois bons cidadãos trabalham juntos para melhorar as coisas para todos.

“Cidadania não é esporte para espectador, você tem que participar”.

O QUE AS PESSOAS ESPERAM DE VOCÊ?

 Seja um bom cidadão ou cidadã;

 Cumpra com os seus deveres;

 Procure aprender como trabalhar com outras pessoas para provocar mudanças positivas;

 Participe, se envolva e contribua;

 Entenda os vários problemas sociais, educacionais, econômicos e ambientais do nosso país;

 Mantenha-se informado;

 Mantenha sempre o mesmo padrão de conduta;

 Obedeça às regras e as leis;

 Pague seus impostos;

 Cuide do bem comum;

 Seja voluntário, ajude, assista, vote, testemunhe, denuncie os crimes.


ZELO – Do dicionário Aurélio, quer dizer: zelo é vocábulo de origem grego, conterrâneo de Hipócrates – e que significa dedicação, cuidado, desvelo ardente, por alguém ou por algo, pontualidade no serviço. É um sentimento característico das pessoas que tem um bom coração. É uma maneira cuidadosa e amorosa de tratar o mundo, as pessoas, a natureza. Uma pessoa zelosa é prestativa, boa e generosa. Pensa sempre no efeito que suas palavras e ações poderão ter no bem estar e sentimentos dos outros. Zelo é sinal de amadurecimento, de evolução. Uma pessoa evoluída é capaz de pensar no lugar do outro e zelar pelos outros, além de si mesmo.
Preocupar-se com os outros é um sentimento muito natural nas pessoas de caráter. Zelo é uma palavra que implica em ação e não uma emoção vazia, pois quem cultiva o sentimento e a prática do zelo, passa a ser altruísta, em vez de egoísta; a priorizar o “nós” em vez do “eu”, e a colaborar com os outros ao invés de explorá-los.

“Que a sua vida seja o seu autógrafo e não as suas impressões digitais.”

O QUE AS PESSOAS ESPERAM DE VOCÊ?

 Mostre o seu zelo pelas outras pessoas sendo gentil, cuidadoso, generoso e compassivo;

 Não seja egoísta e nem mau-caráter;

 Não seja cruel e nem violento;

 Não menospreze os sentimentos dos outros;

 Transforme seu zelo pelos outros em ação efetiva;

 Trate os outros como gostaria de ser tratado;

 Seja bondoso, pessoas zelosas fazem o bem;

 Seja amável, saiba perdoar;

Demonstre preocupação com a sua família, amigos, comunidade e trabalho.

SENSO DE JUSTIÇA – O senso de justiça é um dos mais difíceis pilares do caráter, pois está na essência dos valores éticos. Freqüentemente, as pessoas classificam como “justos” os atos que as favorecem e como “injustos” aqueles que não as favorecem.
Para assegurar que a justiça prevaleça para o maior número de pessoas possível, as regras dos processos decisórios devem ser bastante claras para todos os envolvidos e para todos aqueles sujeitos a elas. Todos devem ser tratados da mesma forma perante a lei.

“Ética não é para fracotes”.

O QUE AS PESSOAS ESPERAM DE VOCÊ?

 Ouça tudo com atenção e tente entender o que estão tentando dizer e sentindo;

 Antes de tomar uma decisão, considere todos os fatos, inclusive os pontos de vista diferente;

 Corrija seus erros;

 Não se aproveite dos erros ou da ignorância alheia;

 Não se aposse de nada que não lhe caiba por direito;

 Não permita que suas preferências pessoais, preconceitos ou outros sentimentos impróprios interfiram nas decisões que devam ser tomadas com base no merecimento, seja imparcial;

 Acima de tudo, aja com justiça.

Dicas para trabalhar o programa “O Caráter Conta”:

 Seja um entusiasta, não desanime;

 Acredite em você e nos outros;

 Seja sempre um colaborador;

 Mesmo não estando de acordo com alguma coisa, não atrapalhe, não faça fofocas;

 Não deixe que a falta de ânimo de algumas pessoas façam a diferença, afinal a diferença é você;

 Perceba que tudo o que você se propor a trabalhar com amor, alegria e boa vontade serão recompensados com amor e alegria;

 Não crie muito caso...FAÇA;

 Não desperdice tempo pensando: já tenho tanto o que fazer...lembre-se, você faz o seu tempo, use com carinho;

 Lembre-se: todas as atividades que você se propor a realizar, só darão certo se você acreditar;

 Enfim, lembre-se que você é importante e todos precisamos de VOCÊ, para realizarmos juntos o nosso trabalho.

“REGRA DE OURO”:

A mais básica e útil teoria ética – também chamada de Regra de Reciprocidade – tem uma longa história:


Confúcio – Não faça aos outros aquilo que você não deseja que lhe façam.


Aristóteles – Devemos nos comportar com os outros como desejamos que eles se comportem conosco.

Mahabharata – Não faça a seu vizinho o que não deseja que ele lhe faça.

Jesus – Ama ao teu próximo como a ti mesmo.

Entre no site do Programa “O Caráter Conta”:

www.ocaraterconta.blogspot.com

Além deste site, existe um outro que proporciona aos professores a confecção de atividades utilizando palavras chaves, acesse, divirta-se e utilize com seus alunos.

www.discoveryschool.com

SUCESSO!
Professora Auricélia da Silva Lima Addor

PROJETO 2006: EEF MARIA AMIN GHANEM

ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL Profª. MARIA AMIN GHANEM
Rua Adolar Pohl, 318 - Bairro: Aventureiro - CEP: 89225.652.
Fone/Fax: (0XX47)34676723 - Joinville – Santa Catarina.


PROGRAMA
"O CARÁTER CONTA"

MARÇO - 2006



1 – DADOS DE IDENTIFICAÇÃO:

1.1 Nome do Programa: O Caráter Conta.

1.2 Profissionais Envolvidos: Professores, Especialista, Diretores, Secretária, Apoio Pedagógico, Serviços Gerais, Guardas etc.

1.3 Local de Realização: Escola de Ensino Fundamental Professora Maria Amin Ghanem.

1.4 Período de Realização: de Fevereiro a Dezembro/2006.

1.5 Carga Horária do Projeto: Todo o ano letivo.

1.6 Clientela que será atendida: Comunidade Escolar.


2 – JUSTIFICATIVA:

A cada instante somos bombardeados com informações vindas da internet, televisão e todos os meios de comunicações acessíveis, que tentam nos ditar normas de comportamento inadequado, onde o público alvo dessa inversão de valores são os jovens. O Programa “O Caráter Conta” visa a educação, a ética, os valores e o caráter, onde os pilares: sinceridade, senso de justiça, respeito, responsabilidade, zelo e cidadania servem para todas as pessoas, sejam elas crianças, jovens ou adultos, pois fortifica a vida do ser humano. Além disso, favorece a família, a educação, a escola e o desenvolvimento da personalidade do adolescente. Seguindo o contexto do programa não importa a etnia, classe social ou religião, estes valores devem ser preservados, para que a sociedade possa manter a família, a amizade, a dignidade, a ordem, a harmonia nos relacionamentos pessoais, como também nas instituições, enfim, criar uma cultura da paz e de pessoas firmes no seu caráter.

3 – OBJETIVOS:

OBJETIVO GERAL

O Programa “O Caráter Conta” é um programa educativo para jovens que visa reforçar os valores recebidos no seio familiar, auxiliando na assimilação dos mesmos através de reforços positivos. Este programa faz parte do Plano Político Pedagógico da escola e vem de encontro com a filosofa da Escola Professora Maria Amin Ghanem, que é educar para vida. Portanto, deve ser trabalhado de forma interdisciplinar e incorporado ao planejamento diário, uma vez que o programa exige mudança de comportamento.


OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Incentivar os professores a manter uma posição positiva em relação ao programa;

Proporcionar a professores, educandos, funcionários e comunidade a educação e a assimilação de valores;

Propiciar aos educandos vários tipos de aprendizagem de forma a esclarecer a socialização e apropriação dos pilares;

Desenvolver a percepção ou a consciência dos sentimentos em relação às outras pessoas.


4 - PÚBLICO ALVO:

A Comunidade Escolar.

5 – METODOLOGIA:

A culminância do projeto será feita através de atividades em que os educandos terão oportunidades de verbalizar seus sentimentos, idéias e mudanças destacando o que foi mais importante, as novidades encontradas, o que foi apreendido, a participação, a integração, a produção, etc. As apresentações se darão por meio de atividades como: teatro, música, contação de histórias, folclore, entrevistas, poesias, júri simulado, jogos e depoimentos de forma lúdica e prazerosa.

6 – CRONOGRAMA:

Será realizado da seguinte forma:

06/02 a 07/04 – Responsabilidade

10/04 a 19/05 – Respeito

22/05 a 30/06 – Sinceridade

01/08 a 08/09 – Senso de Justiça

11/09 a 20/10 – Zelo

23/10 a 01/12 - Cidadania


7 – RESULTADOS ESPERADOS PARA 2006:


· Mais respeito entre a comunidade escolar;

· Nada de agressão física entre os educandos;

· Mais parceria da comunidade escolar;

· Educandos mais responsáveis;

· Zelo pelo ambiente escolar;

· Amizade sincera;

· Educandos comprometidos com os estudos e;

· Valorização dos valores (pilares).

8 – AVALIAÇÃO:

A avaliação dar-se-á através do acompanhamento dos participantes e das observações constantes dos professores em relação aos educandos, obtendo informações básicas sobre a aprendizagem dos mesmos.

Professora: Auricélia Addor
EEB Maria Amin Ghanem
Pesquisa personalizada