Pesquisa personalizada

Carta Aberta - Por Jorge Schemes:

No dia 23 de outubro de 2009 solicitei minha saída da coordenação pedagógica do Programa "O Caráter Conta!" na GERED de Joinville, SC. Foi uma decisão pessoal e feita de livre e espontânea vontade.

Todavia, algumas situações ocorridas bem como as circunstâncias que se arquitetaram ao longo deste ano (2009), e que culminaram na reunião feita no Setor de Ensino na data acima exposta, me fizeram tomar essa decisão.

Até então estive calado, porém não alienado, pois meu pensamento e minha formação cognitiva e filosófica é pós-crítica e meus princípios e valores são alicerçados na Santa Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada.

Não posso agredir meus princípios morais e éticos diante de atitudes mesquinhas de segregação, exclusão, discriminação, preconceito, abuso de poder, constrangimento ilegal, falta de ética (no mínimo profissional) e assédio moral. O que eu não faço com os outros, eu não aceito que façam comigo.

Não compactuo com manobras politiqueiras de pessoas mesquinhas que, durante meu tempo de coordenação pedagógica à frente do Caráter Conta na GERED de Joinville, SC, nunca fizeram nada pelo Programa, e além disso visavam a apropriação do esforço e do trabalho alheio já feito durante anos para promoção e benefício próprios, tais pessoas são verdadeiros "vampiros psíquicos e sociais".

Alguém disse certa vez com muita propriedade que, "onde não há ética até o ambiente fica doentio". E tais pessoas, por serem as detentoras do poder, são um verdadeiro foco de doenças emocionais para aqueles que se sujeitam as suas manobras carregadas de tirania e cheias de maldade, mas Deus é justo Juiz e cabe a Ele retribuir a cada um segundo as suas obras.

Desde o início, minha dedicação e empenho para que o Programa "O Caráter Conta!" tivesse êxito nas escolas da Rede Pública Estadual pertencentes a GERED de Joinville, SC, foram constantes. Procurei promover "O Caráter Conta!" nas escolas da Rede Estadual de Ensino, por meio de reuniões com professores, técnicos e gestores, bem como formatá-lo pedagogicamente à realidade local. Procurei dar visibilidade para as ações do Programa por meio deste blog, e o fiz de maneira voluntária e por decisão pessoal, uma vez que o Programa, até a data presente (23/10/2009), não faz parte dos programas oficiais da Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina. Contudo, o mínimo que se espera quando há dedicação e empenho em qualquer atividade que envolva a educação é reconhecimento, valorização, gratidão e respeito. Talvez essa seja a razão porque há tantos professores e professoras desmotivados.

Apesar de tudo valeu a pena toda minha dedicação e esforço. E aqui deixo registrado o meu respeito e a minha gratidão a todos que se comprometeram junto comigo, e de coração voluntário ajudaram a implementar as atividades do "Caráter Conta!" em sua escola, de maneira especial aos professores e professoras, assistentes técnicos pedagógicos e gestores. Acredito no Programa "O Caráter Conta!" como uma ferramenta poderosa de transformação moral e ética dentro da escola e na vida de cada um de seus agentes. Por essa razão continuarei trabalhando os seus pilares em minhas aulas de Ensino Religioso na Rede Municipal de Ensino de Joinville, SC, como já vinha fazendo antes. Atualmente tenho 09 turmas, do Ensino Fundamental, somando mais de 300 alunos envolvidos com o Programa. Estamos trabalhando sistematicamente com várias atividades pedagógicas relacionadas com os pilares do "Caráter Conta!", meus alunos e alunas da Escola Municipal Saul Sant'Anna de Oliveira Dias já produziram redações, acrósticos, poesias, paródias e joguinhos lúdicos relacionados com os pilares do Programa "O Caráter Conta!". Essas atividades todas e muitas outras estão sendo socializadas neste espaço.

Termino afirmando que acredito na educação para o caráter, acredito na proposta e na metodologia do Programa "O Caráter Conta!", não como plataforma de interesses politiqueiros, pessoais e mesquinhos, mas como uma poderosa força moral na construção de uma cultura para a paz.

Que o Deus Eterno e Criador Ilumine a Todos Nós!
Ex-Coordenador Pedagógico do Programa "O Caráter Conta!" na GERED de Joinville, SC, no período de 2004 a 2009.
Atualmente é colaborador e multiplicador voluntário do Programa nas escolas da Rede Municipal de Ensino, onde atua como professor de Ensino Religioso.

Confira Também:

Atividades do Programa "O Caráter Conta"!

ESTUDE A PALAVRA DE DEUS AGORA!

ESTUDE A PALAVRA DE DEUS AGORA!
Cursos e Estudos Bíblicos Gratuítos
Pesquisa personalizada

segunda-feira, setembro 28, 2015

Dedico esta mensagem à pessoa que me deu o título de “a mulher mais feia do mundo”

Há nove anos, alguém postou na Internet um vídeo de Lizzie Velasquez e deu-lhe o título de “a mulher mais feia do mundo.” Naquela época, ela tinha apenas 13 anos. O vídeo rapidamente se tornou viral. Eis aqui a resposta de Lizzie Velasquez.

Muitas pessoas têm me feito a mesma pergunta muitas vezes: “Se você tivesse a oportunidade de conhecer a pessoa que postou aquele triste vídeo sobre você, o que você lhe diria? Minhas respostas poderiam variar entre querer gritar “POR QUE EU?!”, até chegar a dizer que eu lhe daria um grande abraço e lhe agradeceria por ter se tornado uma das maiores bênçãos em minha vida. Se eu tivesse que dizer algo depois disso, ficaria sem palavras.
Eu acredito, com toda a minha alma, que você e eu estávamos destinados a cruzar nossas vidas. Veja bem, eu não sei de onde você é, qual é a sua idade, e muito menos qual é o seu gênero. Afinal, essa informação é irrelevante. Mas o que eu realmente sei é que você mudou não só a minha vida, mas também a vida de muitas pessoas no mundo todo.
Eu não sei o que o motivou a postar um vídeo meu, aos 13 anos de idade, muito menos a razão que levou você a dar-lhe um título tão forte. Eu não sei o que estava acontecendo em sua vida, nem se foi o seu grupo de amigos que o encorajou a publicar o vídeo. Mas eu quero que você saiba o que estava acontecendo comigo, quando encontrei aquele vídeo acidentalmente.
Lizzie Velasquez tem uma doença congênita rara que impede o seu organismo de acumular gordura corporal. (Foto: Thao Doan)
Eu era uma adolescente de 17 anos, cursando o ensino médio, e só queria desesperadamente uma única coisa na vida: ser aceita. Ser adolescente e se encaixar em um grupo, nessa fase da vida, não é nada fácil. Acrescente a isso, ter uma aparência totalmente diferente dos demais colegas, e aí eu entro em cena. Houve muitos altos e baixos na minha vida, e eu não vou dourar a pílula dizendo que quando encontrei o seu vídeo, não fiquei aborrecida.
Cada vez que eu pensava que devia ser bonita, ou que finalmente seria aceita pelas pessoas, ou que talvez essa síndrome não fosse tão ruim assim — todas essas ideias se desvaneciam assim que eu encontrava o seu post. Eu li os milhares de comentários feitos sobre o vídeo, buscando desesperadamente encontrar pelo menos um que me defendesse. Será que eu encontrei algum? Não. Eu não estou dizendo isso para fazer com que você se sinta culpado(a); eu quero apenas alertá-lo(a) para o fato de que no dia em que você postou o vídeo, provavelmente pensou que eu jamais o encontraria.
Por favor, acredite em mim quando eu digo que ao encontrar o vídeo, a princípio eu o encarei como uma maldição; no entanto, mal sabia eu que na verdade, ele era uma das maiores bênçãos disfarçadas que já tive na minha vida.
Vamos trocar os nossos papéis por um segundo. Digamos que você não tenha a menor ideia de quem eu sou, nem de onde eu venho. Digamos que você esteja lutando para adquirir autoconfiança durante sua adolescência, e um belo dia encontra um vídeo que eu postei sobre você. Eu apenas publiquei um vídeo com um título bastante ofensivo, mas não fiz nenhum dos comentários insultantes. Será que você me perdoaria, e simplesmente ficaria chateado com as pessoas que disseram que o mundo seria um lugar melhor sem você?
Eu poderia continuar falando sobre a avalanche de coisas que sucederam depois que encontrei o vídeo, bem como sobre todas as outras pessoas que também se sentiram feridas por ele; mas isso seria apenas uma perda de nosso valioso tempo. Em vez disso, eu gostaria que você soubesse que eu perdoei você e todas as pessoas que sugeriram que eu me suicidasse. Eu sei, essas palavras são muito duras, até mesmo digitá-las já é difícil o bastante.
Lizzie Velasquez (Foto: A Brave Heart: The Lizzie Velasquez Story)
Com a ajuda da minha fé, da minha família e dos meus amigos, fui capaz de deixar de me sentir totalmente estranha, para de alguma maneira, poder transformar o nosso primeiro encontro em algo que possa ajudar a dar esperança a qualquer pessoa que tenha sido vítima de bullying na Internet. Usar a palavra “vítima” aqui é bastante difícil para mim, porque essa palavra não me define. Eu sou alguém que permitiu que outra pessoa entrasse em sua vida, e isso não ocorreu precisamente da maneira mais fácil.
Descobri que muitas vezes, as pessoas machucam umas às outras, não porque queiram prejudicá-las, mas porque elas mesmas já foram muito machucadas Se esse for o seu caso, espero que você tenha encontrado uma maneira de expressar sua própria dor, sem causar sofrimento a mais ninguém.
Vamos avançar rapidamente esses nove anos desde que você e eu “nos conhecemos.” É neste momento que eu quero lhe dizer: ‘muito obrigada’. Eu encaro todas as coisas que faço e todas as pessoas que encontro como peças do grande quebra-cabeça que é a minha vida. Nossa peça foi uma das mais difíceis; eu não sabia exatamente onde ela encaixava, mas eu sabia que ela tinha seu lugar. Sua peça encaixou perfeitamente no lugar, quando eu percebi que o vídeo que você postou era o combustível que alimentaria a minha força.
Seu vídeo me levou para o fundo do poço, mas com o tempo, ele me tornou muito mais forte do que eu jamais poderia ter imaginado.
Suas ações me guiaram em meu processo de aprender a levantar e dar a volta por cima, vez após vez. Tudo isso me traz de volta à pergunta feita a princípio. “Se você tivesse a oportunidade de conhecer a pessoa que postou aquele triste vídeo sobre você, o que provavelmente você lhe diria?” Minha resposta agora seria bastante simples. Você é o responsável por iniciar essa mudança em minha vida. Eu acho que é verdade quando as pessoas dizem que todos nós temos um líder interior. Por mais absurdas que minhas palavras pareçam, muito obrigada por ser o líder que eu não sabia que eu tanto necessitava.[Fonte: Yahoo]

Nenhum comentário:

Pesquisa personalizada