Pesquisa personalizada

Carta Aberta - Por Jorge Schemes:

No dia 23 de outubro de 2009 solicitei minha saída da coordenação pedagógica do Programa "O Caráter Conta!" na GERED de Joinville, SC. Foi uma decisão pessoal e feita de livre e espontânea vontade.

Todavia, algumas situações ocorridas bem como as circunstâncias que se arquitetaram ao longo deste ano (2009), e que culminaram na reunião feita no Setor de Ensino na data acima exposta, me fizeram tomar essa decisão.

Até então estive calado, porém não alienado, pois meu pensamento e minha formação cognitiva e filosófica é pós-crítica e meus princípios e valores são alicerçados na Santa Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada.

Não posso agredir meus princípios morais e éticos diante de atitudes mesquinhas de segregação, exclusão, discriminação, preconceito, abuso de poder, constrangimento ilegal, falta de ética (no mínimo profissional) e assédio moral. O que eu não faço com os outros, eu não aceito que façam comigo.

Não compactuo com manobras politiqueiras de pessoas mesquinhas que, durante meu tempo de coordenação pedagógica à frente do Caráter Conta na GERED de Joinville, SC, nunca fizeram nada pelo Programa, e além disso visavam a apropriação do esforço e do trabalho alheio já feito durante anos para promoção e benefício próprios, tais pessoas são verdadeiros "vampiros psíquicos e sociais".

Alguém disse certa vez com muita propriedade que, "onde não há ética até o ambiente fica doentio". E tais pessoas, por serem as detentoras do poder, são um verdadeiro foco de doenças emocionais para aqueles que se sujeitam as suas manobras carregadas de tirania e cheias de maldade, mas Deus é justo Juiz e cabe a Ele retribuir a cada um segundo as suas obras.

Desde o início, minha dedicação e empenho para que o Programa "O Caráter Conta!" tivesse êxito nas escolas da Rede Pública Estadual pertencentes a GERED de Joinville, SC, foram constantes. Procurei promover "O Caráter Conta!" nas escolas da Rede Estadual de Ensino, por meio de reuniões com professores, técnicos e gestores, bem como formatá-lo pedagogicamente à realidade local. Procurei dar visibilidade para as ações do Programa por meio deste blog, e o fiz de maneira voluntária e por decisão pessoal, uma vez que o Programa, até a data presente (23/10/2009), não faz parte dos programas oficiais da Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina. Contudo, o mínimo que se espera quando há dedicação e empenho em qualquer atividade que envolva a educação é reconhecimento, valorização, gratidão e respeito. Talvez essa seja a razão porque há tantos professores e professoras desmotivados.

Apesar de tudo valeu a pena toda minha dedicação e esforço. E aqui deixo registrado o meu respeito e a minha gratidão a todos que se comprometeram junto comigo, e de coração voluntário ajudaram a implementar as atividades do "Caráter Conta!" em sua escola, de maneira especial aos professores e professoras, assistentes técnicos pedagógicos e gestores. Acredito no Programa "O Caráter Conta!" como uma ferramenta poderosa de transformação moral e ética dentro da escola e na vida de cada um de seus agentes. Por essa razão continuarei trabalhando os seus pilares em minhas aulas de Ensino Religioso na Rede Municipal de Ensino de Joinville, SC, como já vinha fazendo antes. Atualmente tenho 09 turmas, do Ensino Fundamental, somando mais de 300 alunos envolvidos com o Programa. Estamos trabalhando sistematicamente com várias atividades pedagógicas relacionadas com os pilares do "Caráter Conta!", meus alunos e alunas da Escola Municipal Saul Sant'Anna de Oliveira Dias já produziram redações, acrósticos, poesias, paródias e joguinhos lúdicos relacionados com os pilares do Programa "O Caráter Conta!". Essas atividades todas e muitas outras estão sendo socializadas neste espaço.

Termino afirmando que acredito na educação para o caráter, acredito na proposta e na metodologia do Programa "O Caráter Conta!", não como plataforma de interesses politiqueiros, pessoais e mesquinhos, mas como uma poderosa força moral na construção de uma cultura para a paz.

Que o Deus Eterno e Criador Ilumine a Todos Nós!
Ex-Coordenador Pedagógico do Programa "O Caráter Conta!" na GERED de Joinville, SC, no período de 2004 a 2009.
Atualmente é colaborador e multiplicador voluntário do Programa nas escolas da Rede Municipal de Ensino, onde atua como professor de Ensino Religioso.

Confira Também:

Atividades do Programa "O Caráter Conta"!

ESTUDE A PALAVRA DE DEUS AGORA!

ESTUDE A PALAVRA DE DEUS AGORA!
Cursos e Estudos Bíblicos Gratuítos
Pesquisa personalizada

sexta-feira, novembro 21, 2008

Tradução Good Ideas: Professor Humberto Vinícius Gomes Goulart - EEB Jandira D'Àvila


E.E.B. Professora Jandira D`Àvila
Colaboração: Professor Humberto Vinícius Gomes Goulart
Tradução das páginas 55 à 60 – Good Ideas – “O Caráter Conta!”

PÁGINA 55
Idéia # 16 Estória: Rei Alfred e os bolos

Depois de ser derrotado por guerreiros de outras terras, o rei Alfred e seus soldados foram forçados a sair de suas casas para evitar de serem capturados por estes guerreiros, o rei disfarçou-se de pobre esfarrapado e foi para a floresta para esconder-se, mas o rei não estava familiarizado com a floresta e rapidamente se perdeu.
Incapaz de encontrar o caminho para sair da floresta, ele vagou por vários dias. Finalmente ele encontrou uma cabana. Ele bateu na porta e disse ao homem e a mulher que moravam lá que ele não comia e nem dormia por muitas noites.
A mulher não notou que seu companheiro esfarrapado, era o rei, e pediu a ele algo em troca.
“Nós devemos ir cortar e recolher lenha para o fogão”, ela disse, “então quando eu for se você cuidar do bolo que está assando no fogão e não deixá-lo queimar, eu irei lhe dar comida quando eu voltar.”
Alfred agradeceu o casal e concordou em cuidar do bolo. Mas ele estava cansado de andar pela floresta e pouco tempo depois que eles saíram, Alfred adormeceu. Ele despertou com o cheiro da fumaça. O bolo agora parecia pequeno, uma massa preta e era muito tarde para recuperá-lo.
O casal retornou para a cabana e a mulher repreendeu Alfred por não cumprir com a sua promessa. “Você é um preguiçoso, você me disse que cuidaria dos bolos, mas você dormiu enquanto eles queimavam.”
Ela olhou para ele mais de perto e de repente percebeu que o homem que ela estava repreendendo era o rei!
Ambos caíram de joelhos desculpando-se por falar com o rei asperamente.
Por favor, meus amigos vocês não me devem nenhuma desculpa “disse o rei Alfred.” Sou eu quem deveria pedir desculpas. Eu aceitei a responsabilidade de cuidar dos bolos e eu não tenho nenhuma reclamação, porém eu mesmo os deixei queimar. Eu peço desculpas a vocês, alguém que aceita uma tarefa, grande ou pequena, deveria fazer o que prometeu.
Tudo foi esquecido e o casal alimentou o rei e prepararam a cama para ele dormir à noite. Na manhã seguinte quando o homem e a esposa levantaram, eles perceberam que o rei tinha cortado e empilhado de forma organizada a lenha e deixado na porta antes de seguir seu caminho.
­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­
Uma versão clássica desta fábula aparece em O livro das virtudes: Um tesouro das grandes estórias morais, escrita por Willian J. Bennett ( New York: Simon & Schuster, 1993) e na “Aventura do livro das virtudes.”

PÁGINA 56
Monitoramento de comportamentos e de responsabilidades
Supervisionar: crianças identificam regras e aprendem a ser responsáveis por seus próprios comportamentos.
Preparação/materiais
Um grande cartaz listando o nome das crianças.
Uma foto de cada criança (instruindo-as antecipadamente a trazer fotos de casa)
Marcador de recompensa (E.G., estrelas, adesivo sorridente, etc.).
Procedimento:
Discuta com as crianças os componentes associados com responsabilidades. (Veja os seis pilares listando o começo desta seção). Esclareça o vocabulário das palavras, elas podem não entender.
Relembrando-as: Parte de ser responsável é fazer o que nós nos propomos a fazer – até mesmo quando é difícil. Peça a elas por exemplos de alguma coisa que elas tenham que fazer que fosse difícil. Então coloque as crianças sentadas em fileiras com um dado número de crianças em cada fileira (determine isto baseado em quantas são em seu grupo).
Pergunte a elas que regras elas tinham que seguir para sentar nesta ordem. Deixe-as explicar porque as regras são importantes. Sugira: regras nos ajudam a agir responsavelmente. Peça a cada estudante o nome de uma sala ou regra da escola. Depois que cada estudante compartilhar uma resposta, deixe-os afirmar como esta regra os ajuda a comportar-se responsavelmente.
Mostre as recompensas de um comportamento responsável (E.G., ajuda todos a progredir, tornam as coisas mais fáceis para o grupo, evitamos punição, etc.).
Apresente um gráfico e coloque-o em um lugar onde todos possam vê-lo. Prenda a foto de cada estudante ao lado de seu nome. Outro estudante pode então reconhecer cada nome e identificar. Explique que sempre que você note alguém saindo de seu lugar para agir (responsavelmente) e obedecer a regras, um adesivo será colocado próximo ao nome da pessoa.
Atraia a atenção para o cartaz periodicamente e bonifique as crianças por ser responsável.
Você pode dizer o tamanho de um homem, pelo tamanho das coisas que o tornam louco.

PÁGINA 57
Erros positivos
Visão Geral: Para reforçar a perseverança, as crianças são encorajadas a olhar os erros como uma oportunidade de aprender.
Preparação/materiais
Dê cópias (uma para cada criança), Lápis de cera.
Um grande erro Lemore Rinder e Susan Horn (opcional).

Procedimento:
Pergunte: Como nós podemos mostrar que somos responsáveis? Explique e reveja exemplos de comportamentos de responsabilidade. (Veja os “seis pilares” listados no começo desta seção.)
Diga: pessoas responsáveis não têm medo de admitir quando elas estão erradas. Elas entendem que todos cometem erros, mas elas tentam aprender, com seus erros. Quais são alguns erros que nós podemos cometer? Campo de respostas. Direcione a discussão para os exemplos que eles sugerirem. (Você pode também mencionar erros tais como infringir regras e falhar ao seguir instruções.) Enfatize que estes são erros que todos cometem.
Discuta com as crianças como elas se sentem quando elas cometem erros
e compare isto aos seus sentimentos depois que os erros são corrigidos.
Distribua os lápis de cera e as folhas com um risco. Diga: finja que você fez esta linha acidentalmente __ foi um erro que você cometeu. Mas você é um estudante responsável, quer dizer que você continua tentando. Então veja se você pode transformar a linha em alguma coisa bonita. Vire o papel de várias maneiras para que as crianças possam ver a linha de erro de várias perspectivas. Uma vez que a atividade foi completa, incentive as crianças a partilhar seus “bonitos erros” com a classe.
(Opcional: Você pode querer apresentar e ler em voz alta o livro Um Grande Erro para futuramente realçar esta lição.)
Caráter não pode ser desenvolvido facilmente, somente através da experiência de julgamento e sofrimento a alma pode ser fortalecida, a visão clareada, a ambição inspirada e o sucesso alcançado.
- Helen Keller (Cega e Surda - Oradora pública e autora - Ativista do século XX).

PÁGINA 58
Idéia # 18 folhas de atividade: Erros positivos.
PÁGINA 59
Idéia # 19
Encontrar um Caráter: Ansvar
Idéia Geral: Crianças são apresentadas as noções de bom caráter, discuta e defina caráter, e então aprenda sobre Ansvar, o “Carrossel do Caráter” animal que representa responsabilidade. Eles encerram com uma atividade colorida.
Materiais/ Preparação:
Refere-se a descrição do “Carrossel do Caráter” na página 9.
Ansvar: o folheto do elefante (uma para cada criança).Lápis de cera.
Procedimento:
Antes de discutir responsabilidade, apresente as crianças o conceito de caráter. Diga quando você assiste desenhos na TV, você vê muitos tipos diferentes de caráter.
Vocês podem me dizer alguns dos diferentes tipos de caráter que vocês vêem? Ouça as respostas e cumprimente-as por suas escolhas. Então diga: A palavra “caráter” também tem outro significado. É o que nós somos interiormente. Isto se demonstra quando nós nos comportamos de uma maneira correta. Se nós nos comportamos bem mostramos bom caráter. Quais são alguns exemplos de comportamento que demonstram bom caráter? Escute e ajude a explicar estas respostas. Sugira outros exemplos (E.G., ajudando outros em casa e na escola, seguindo instruções, compartilhando, etc.).
Depois que você sentir que eles entendem o conceito, apresente o pilar da responsabilidade. Diga: Uma maneira de mostrar o seu bom caráter é agir com responsabilidade. Demore a dar o Ansvar para eles. Este é Ansvar, o elefante. Ele pensa
antes de agir e é responsável pelas suas escolhas. Ele trabalha duro e tenta cumprir suas promessas.
Complete a descrição do comportamento do Ansvar e ajude as crianças a definir como o caráter do desenho que eles mencionaram anteriormente demonstra a característica de responsabilidade. Então peça a eles para sugerir como eles podem
mostrar responsabilidade em suas próprias vidas.
Conclua a discussão com uma atividade colorida usando o folheto do elefante Ansvar.. Convide-os a levá-lo para casa e explique seu bom caráter aos outros.
A nossa vida é o que o nosso pensamento a faz. (Marco Aurélio – Imperador Romano.)

PÁGINA 60
Idéia #19 folheto: Ansvar o elefante.
Responsabilidade:
Você é responsável?
*Você cumpre o que você fala?
*Você pensa a respeito de como as suas ações irão afetar os outros?
*Você sempre tenta fazer o seu melhor?
Tradução: Professor Humberto Vinícius Gomes Goulart.

Nenhum comentário:

Pesquisa personalizada