Pesquisa personalizada

Carta Aberta - Por Jorge Schemes:

No dia 23 de outubro de 2009 solicitei minha saída da coordenação pedagógica do Programa "O Caráter Conta!" na GERED de Joinville, SC. Foi uma decisão pessoal e feita de livre e espontânea vontade.

Todavia, algumas situações ocorridas bem como as circunstâncias que se arquitetaram ao longo deste ano (2009), e que culminaram na reunião feita no Setor de Ensino na data acima exposta, me fizeram tomar essa decisão.

Até então estive calado, porém não alienado, pois meu pensamento e minha formação cognitiva e filosófica é pós-crítica e meus princípios e valores são alicerçados na Santa Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada.

Não posso agredir meus princípios morais e éticos diante de atitudes mesquinhas de segregação, exclusão, discriminação, preconceito, abuso de poder, constrangimento ilegal, falta de ética (no mínimo profissional) e assédio moral. O que eu não faço com os outros, eu não aceito que façam comigo.

Não compactuo com manobras politiqueiras de pessoas mesquinhas que, durante meu tempo de coordenação pedagógica à frente do Caráter Conta na GERED de Joinville, SC, nunca fizeram nada pelo Programa, e além disso visavam a apropriação do esforço e do trabalho alheio já feito durante anos para promoção e benefício próprios, tais pessoas são verdadeiros "vampiros psíquicos e sociais".

Alguém disse certa vez com muita propriedade que, "onde não há ética até o ambiente fica doentio". E tais pessoas, por serem as detentoras do poder, são um verdadeiro foco de doenças emocionais para aqueles que se sujeitam as suas manobras carregadas de tirania e cheias de maldade, mas Deus é justo Juiz e cabe a Ele retribuir a cada um segundo as suas obras.

Desde o início, minha dedicação e empenho para que o Programa "O Caráter Conta!" tivesse êxito nas escolas da Rede Pública Estadual pertencentes a GERED de Joinville, SC, foram constantes. Procurei promover "O Caráter Conta!" nas escolas da Rede Estadual de Ensino, por meio de reuniões com professores, técnicos e gestores, bem como formatá-lo pedagogicamente à realidade local. Procurei dar visibilidade para as ações do Programa por meio deste blog, e o fiz de maneira voluntária e por decisão pessoal, uma vez que o Programa, até a data presente (23/10/2009), não faz parte dos programas oficiais da Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina. Contudo, o mínimo que se espera quando há dedicação e empenho em qualquer atividade que envolva a educação é reconhecimento, valorização, gratidão e respeito. Talvez essa seja a razão porque há tantos professores e professoras desmotivados.

Apesar de tudo valeu a pena toda minha dedicação e esforço. E aqui deixo registrado o meu respeito e a minha gratidão a todos que se comprometeram junto comigo, e de coração voluntário ajudaram a implementar as atividades do "Caráter Conta!" em sua escola, de maneira especial aos professores e professoras, assistentes técnicos pedagógicos e gestores. Acredito no Programa "O Caráter Conta!" como uma ferramenta poderosa de transformação moral e ética dentro da escola e na vida de cada um de seus agentes. Por essa razão continuarei trabalhando os seus pilares em minhas aulas de Ensino Religioso na Rede Municipal de Ensino de Joinville, SC, como já vinha fazendo antes. Atualmente tenho 09 turmas, do Ensino Fundamental, somando mais de 300 alunos envolvidos com o Programa. Estamos trabalhando sistematicamente com várias atividades pedagógicas relacionadas com os pilares do "Caráter Conta!", meus alunos e alunas da Escola Municipal Saul Sant'Anna de Oliveira Dias já produziram redações, acrósticos, poesias, paródias e joguinhos lúdicos relacionados com os pilares do Programa "O Caráter Conta!". Essas atividades todas e muitas outras estão sendo socializadas neste espaço.

Termino afirmando que acredito na educação para o caráter, acredito na proposta e na metodologia do Programa "O Caráter Conta!", não como plataforma de interesses politiqueiros, pessoais e mesquinhos, mas como uma poderosa força moral na construção de uma cultura para a paz.

Que o Deus Eterno e Criador Ilumine a Todos Nós!
Ex-Coordenador Pedagógico do Programa "O Caráter Conta!" na GERED de Joinville, SC, no período de 2004 a 2009.
Atualmente é colaborador e multiplicador voluntário do Programa nas escolas da Rede Municipal de Ensino, onde atua como professor de Ensino Religioso.

Confira Também:

Atividades do Programa "O Caráter Conta"!

ESTUDE A PALAVRA DE DEUS AGORA!

ESTUDE A PALAVRA DE DEUS AGORA!
Cursos e Estudos Bíblicos Gratuítos
Pesquisa personalizada

terça-feira, dezembro 19, 2006

RELATÓRIO: EEB OSVALDO ARANHA

E.E.B. OSVALDO ARANHA

O CARÁTER CONTA
Joinville, 07/12/2006.


O Projeto Caráter Conta foi trabalhado com o Professor José de Oliveira, na disciplina de Filosofia nas turma do 1º ano do E.M., durante o 3º bimestre.
O Professor José, orientado pelo serviço da Supervisão Escolar, através da mensagem “História do Lápis”, desenvolveu a reflexão sobre o caráter das pessoas.

A história do lápis:

O menino olhava a avó escrevendo uma carta. A certa altura, perguntou:
- Você está escrevendo uma história que aconteceu conosco? E por acaso, é
uma história sobre mim?
A avó parou a carta, sorriu e comentou com o neto:
- Estou escrevendo sobre você, é verdade. Entretanto, mais importante do
que as palavras, é o lápis que estou usando, gostaria que você fosse como ele, quando crescesse.
O menino olhou para o lápis, intrigado, e não viu nada de especial.
- Mas ele é igual a todos os lápis que vi em minha vida.
- Tudo depende do modo como você olha as coisas. Há cinco qualidades nele que, se você conseguir mantê-las, será sempre uma pessoa em paz com o mundo.
“Primeira qualidade: você pode fazer grandes coisas, mas não deve esquecer nunca que existe uma Mão que guia seus passos. Esta mão nós chamamos de Deus, e Ele deve sempre conduzi-lo em direção à Sua vontade”.
“Segunda qualidade: de vez em quando eu preciso parar o que estou escrevendo, e usar o apontador. Isso faz com que o lápis sofra um pouco, mas no final, ele está mais afiado. Portanto, saiba suportar algumas dores, porque elas o farão ser uma pessoa melhor.
“Terceira qualidade: o lápis sempre permite que usemos uma borracha para apagar aquilo que estava errado. Entenda que corrigir uma coisa que fizemos não é necessariamente algo mau, mas algo importante para nos manter no caminho da justiça”.
“Quarta qualidade: o que realmente importa no lápis não é a madeira ou sua forma exterior, mas o grafite que está dentro. Portanto, sempre cuide daquilo que acontece dentro de você.”
“Finalmente, a quinta qualidade do lápis: ele sempre deixa uma marca. Da mesma maneira, saiba que tudo que você fizer na vida, irá deixar traços, e procure ser consciente de cada ação”.

O professor através de debate, depoimentos, relatos fez perceber entre os alunos participantes que as virtudes e ações positivas somente elas entrelaçam a boa convivência na sociedade.
O professor relatou que ouviu muitas opiniões positivas e os frutos serão colhidos.

Partindo da pesquisa referente as mortes dos jovens no trânsito, as turmas do 2º ano do E.M., também na aula de Filosofia desenvolveram reflexões sobre o “Trânsito”- respeito. A metodologia aplicada pelo professor foi através da auto-análise, observando atitudes que engrandecem e desvalorizam o ser humano.
Os depoimentos dados pelos alunos deixaram o professor satisfeito pela importância que dão a vida e pela opinião formada dos jovens.


Os alunos da 3ª série do E.F. durante o mês de abril, com a Professora Eli Ramone, trabalharam o pilar do Respeito e da Cidadania, explorando através de relatos dos alunos e da observação de noticiários as causas que provocam acidentes, fazendo a conscientização quanto ao respeito as normas de Trânsito e a vida do próximo.
Baseado nas informações os alunos construíram maquetes que foram expostas no Hall da Escola.

No mês de setembro a Sra. Paula do Instituto Motivar de São Paulo desenvolveu palestras sobre “Os Onze passos para o Sucesso”, com os alunos do Ensino Médio, enfocando as questões da responsabilidade, zelo e cidadania.
As palestras aconteceram em 3 sessões, sendo para os 1ºs anos, 2ºs anos e 3ºs anos separadamente.

A professora Sandra Bittencourt de Educação Religiosa no 2º e 3º Bimestre, trabalhou o projeto de 5ª a 8ª série. primeiramente fez compreender os “Pilares do Caráter Conta” ; entender as atitudes e palavras de valor do passado e presente.

Pilar – Sinceridade – Compreender que quem é honesto e sincero não terá vantagens sobre os outros, não mentir é conquistar a confiança do outro.
Foram realizados trabalhos de análises, e pesquisas com frases de pessoas importantes no passado.

Pilar – Respeito – Responsabilidade: Entender os sentimentos que levam as pessoas a dar atenção aos outros, ter admiração, consideração pelos outros.
Incentivar o aluno a ser respeitoso com todos, especialmente com os idosos, índios, negros, mulheres, e entre outros os deficientes.
Os alunos realizaram trabalhos para a exposição que foram fixados nos corredores da escola.

Pilar – Senso Justiça – Refletir as ações e sentimentos que nos fazem sentir responsáveis pela humanidade em geral pela nossa família.
Discussão entre grupos para diminuir o sofrimento e fazermos a caridade.
Reflexão: Destaque do sociólogo Betinho e Padre Fachini que organiza as cozinhas comunitárias.
Pergunta para refletir: O que eu fiz para diminuir o sofrimento dos outros?

Pilar – Zelo/Cidadania – Compreender o que é necessário para ser um bom cidadão.
Debate, opiniões e construção de textos para valorizar o ser humano no contexto social.
Os cartazes elaborados pelos alunos tinham o objetivo de conscientizar a comunidade escolar para respeitar as desigualdades e tomar atitudes positivas que enobrecem o caráter.


De abril a novembro os alunos da 6ª série participaram do projeto: Liderança em horário contrário das aulas. Este estudo teve como objetivo ajudar os alunos a definir a liderança. Eliminar os aspectos negativos e prevalecer somente atitudes positivas.
As alunas de Psicologia da Faculdade ACE Adriana Bez Batti, Daniele Heiler, Eliandra Rodrigues Lemes e Vanessa Zuchetto Soares, contribuíram com dedicação no desenvolvimento deste projeto.

A Professora Diana Silva de Oliveira também contemplou a turma do Pré-escolar, com o programa, iniciando em 01 de junho com o Pilar Sinceridade.
De início foi apresentado o programa, colocando o objetivo geral, a justificativa, o significado da palavra pilar e o significado da cor azul do pilar sinceridade.
Questionado o grupo sobre o que seria sinceridade? Recebido várias respostas, foi feita a explicação por meio de um exemplo.
Ex.: Uma criança promete algo para outra criança e não cumpre. Esta criança foi sincera no que prometeu? As respostas foram todas não.
Aluno Juliano fez uma pergunta muito interessante: Professora, e se o menino se esqueceu?
A professora respondeu, que se ele esqueceu quando ele lembrar, deverá cumprir imediatamente.
Como Atividade, foi então questionado: Sinceridade é. O que posso fazer? O que não posso fazer? As respostas foram escritas nas mãozinhas , feito as folhas e enfeitadas a palavra sinceridade com várias cores, que foi dado como fixação para os alunos.
Pilar Respeito – Também feito o questionamento sobre o que é respeito e colhido as respostas, foi feito a exposição sobre sua importância, no trânsito, em casa, na vida.
Leitura da história: Se a criança governasse o mundo...
Atividade: O que devo respeitar na vida?
Os seres humanos, animais, meio-ambiente, trânsito.
Com recortes de revistas foram elaborados quatro cartazes, um para cada tópico acima e espalhados pelo colégio.
Com apenas dois meses de empenho no projeto, foi possível notar uma melhora no comportamento dos alunos.

Pilar Responsabilidade/Cidadania - Os alunos dos 3ºs anos do Ensino Médio, participaram no mês de agosto do Programa: Prevenção ao Trauma, do Hospital Municipal São José, desenvolvido por médicos, terapeutas e enfermeiros voluntários.
Num projeto inédito de Educação Realística de Prevenção ao Trauma foi enfocada a importância de se dirigir com prudência, respeitando as Normas de Trânsito e também as consequências do uso de drogas.
Os alunos receberam informações e orientações quanto ao projeto e postura ética para a visitação aos pacientes acidentados nas quartos e UTI.
O trabalho baseado no depoimento dos pacientes, fechou com um teatro desenvolvido pelos alunos que tiveram que demonstrar as dificuldades físicas e emocionais do dia a dia de um acidentado.

Nenhum comentário:

Pesquisa personalizada